quinta-feira, 15 de abril de 2010

O que eu penso?

Às vezes nem eu sei direito.
Minha cabeça andou a mil na semana passada. Agora está mais tranquila. Porém nada calma.
É jornal que não me paga, é ter que andar por mais de uma hora pra chegar ao trabalho, almoçar uma marmita sem gosto, pois é a única que custa R$3,00 aqui na cidade, morar com mais uma penca de gente, onde louça limpa é mais difícil de achar do que nota de R$15,00.
Pois é, um pouco complicado, mas com o tempo tudo melhora.

Ontem sai com uma amiga aqui da cidade. Gente boa demais, Fernanda. Sabe aquela pessoa que você passa horas conversando e nem sente o tempo passar? Mais ou menos isso.
Muitos problemas em comum, como alguns de família, ela foi impedida de fazer música, pais separados, pai que mora longe, sempre recebeu criticas por conta da escola e hoje é ela quem está estudando e arregaçando os irmãos... enfim, muita coisa pra se aprender.
Tem outros detalhes, mas em respeito a ela não falarei nada...sabe como é, ética!!!

O delegado Protógenes Queiroz virá a Marília amanhã. Era pra eu fazer a matéria, mas foi passada para o Ninão, quem faz polícia. Que pena, queria tanto uma entrevista como essa!

Um comentário:

Anônimo disse...

Essas situações n acontecem por acaso. São desdobramentos das soluções que vc buscou ára seus problemas anteriores. cabe a vc mesmo admonistrar isso e ,obviamente, resolver as que precisam ser resolvidas. Umas precisam de tempo, outras de atitude.Mas não ha nenhuma que não vc não esteja apto a resolver. Vc já provou e continua provando que esta numa fase de preparação. Enxergue o que esta por detrás das aparencias!

PF


Contador Grátis