quinta-feira, 29 de julho de 2010

Povo Mariliense

É engraçado e eu ainda não acostumei com uma coisa.

Saio de casa por volta das 8h e sempre tem gente fazendo caminhada. Sempre que passo, mesmo que não conheço as pessoas elas falam "Bom dia". Lógico, faço o mesmo. Acho isso demais.

Em SP,eu tinha um visinho problemático, com uma mãe Testemunha de Jeová, uma zeladora que parecia uma coxinha e se eu fizesse qualquer coisa era motivo para falar para minha mãe, (inventava muitas delas também), enfim... só gente que eu não sinto falta alguma.

Aqui, no ônibus, um senhor sentou ao meu lado, falou o bom dia, pediu licença para sentar ao meu lado. Sabe, é por motivos como esse que faço questão de não morar mais em São Paulo.

Outro motivo? Poxa, demoro meia hora pra chegar ao centro da cidade andando,sem pegar uma subida, sem andar rápido...estou na cidade que é a 6ª em qualidade de vida no Brasil...Falô SP, mas a vontade de MG...ainda paira sobre meus pensamentos

2 comentários:

Cristiane Picelli disse...

Pedro Pedro, que saudade de vc!
Fico aqui lendo teu blog imaginando a gente discutindo tudo isso no bar...

A história da cervejaria me deu até sede!!
hahahahaha

Mil beijos!!!!!
Cris

Anônimo disse...

Entendo exatamente o que vc sente e o que vc fala, filho! Basta sair de sampa para se conviver com pessoas menos neuróticas que as pessoas que convivemos aí. Sem contar que são mais educadas e atenciosas. A megacidade te oferece oportunidades mil...mas o preço cobrado é extremamente alto, e para quem busca uma vida com valores eticos e morais é muito dificil aceitar uma vida assim. Viver é não ter a vergonha de ser feliz, de cunmprimentar teu vizinho, de caminhar na rua a noite tendo como cia uma lua cheia e sem medo no coração. Aposto que vc, como eu, nunca mais se acostuma com outro tipo de convivencia!


Contador Grátis