domingo, 5 de setembro de 2010

Um lápis e uma régua
Um resfriado me pega
Um flash quase me cega
Um memorando que nega

Um vento forte, um chuvisco
No olho me entra um cisco
Um som de casa de disco
Uma cobrança do fisco

Um desejo por vitrina
Uma moça por esquina
Hoje eu te pego menina
Ao me sentar na latrina

Um cartaz de mulher nua
O cego atravessa a rua
Garçom, a carne está crua
A mãe de quem é a sua?

Um ódio que me destrói
O sangue corre, corrói
Eu quero ser um herói
Vida de porra, My Boy

2 comentários:

Anônimo disse...

Um mina em cada esquina.. aiaiaiaia

Suellen disse...

♫"O povo, querida, querida
Há de sobreviver,
querida, querida
Aos seus bem feitores,
querida, querida
As canções de protesto,
querida, querida
E a nossa bondade"

Sonzeraaaa


Contador Grátis