segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Muito triste


Essa madrugada, na agência, fiquei chocado com um acidente que aconteceu no último domingo.

Na cidade de Bandeira do Sul(5 mil habitantes), 440 km de Belo Horizonte e 20 de Poços de Caldas, acontecia o Carnaband, carnaval que ocorre sempre uma semana antes da data para os moradores da cidade.

Às 18hs, o trio-elétrico que fazia a animação acabou encostando em um fio de alta-tensão. São três hipóteses para o acidente. Uma serpentina metálica, que causou o curto; Um rojão que explodiu bem na fiação, e deixando o trio eletrocutado;E que o trio arrebentou com a rede de luz após bater em um poste.

Quando encostou no fio, 16 pessoas morreram na mesma hora, pois estavam ao lado do carro. Algumas que estavam em cima do trio foram arremessadas, caindo ao chão pegando fogo.

Certamente eu conheço algumas dessas pessoas. Frequentei a cidade, cheguei a passar um tempo por lá e a preocupação está grande.

Mas estou bem triste pelo que aconteceu. Preocupado com pessoas que conheço e sabendo que infelizmente, uma diversão acabou em tragédia.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

50 MOTIVOS PARA GOSTAR DE SER HOMEM

01. Uma viagem de cinco dias requer apenas uma mochila.
02. Conversas telefônicas acabam em 30 segundos ou menos.
03. Nada de filas para o banheiro.
04. Você consegue abrir as tampas dos potes.
05. Ao passear pelos canais da TV, você não tem que parar quando vê alguém chorando.
06. Todos seus orgasmos são verdadeiros.
07. Você não tem que carregar uma bolsa cheia de tralhas para cima e pra baixo.
08. Você pode ir ao banheiro sem um grupo de apoio.
09. Se seu trabalho é criticado, você não fica achando que todo mundo te odeia.
10. Você economiza tempo e dinheiro lavando a roupa de 3 em 3 semanas..
11. Fazer sexo não deixa você preocupado com sua reputação.
12. Se alguém esquece de convidar você para alguma coisa, é apenas um esquecimento, e não evidência de que odeiam você.
13. Você não tem que fazer a barba abaixo do pescoço.
14. Nenhum dos seus colegas de trabalho tem o poder de fazer você chorar.
15. Se você tem 34 anos e é solteiro, ninguém liga.
16. Chocolate é um alimento como qualquer outro.
17. Flores resolvem tudo.
18. Você não tem que se preocupar em ‘ferir os sentimentos’ dos outros a cada telefonema pronunciado.
19. Você consegue estacionar em vagas que têm menos de 2.5 vezes o comprimento do seu carro.
20. Ana Maria Braga inexiste no seu universo.
21. A revista ‘Caras’ inexiste no seu universo.
22. Você não tem compulsão de arrumar sua casa inteira em 15 segundos quando alguém toca a campainha.
23. Os mecânicos te dizem a verdade.
24. Você está se lixando se alguém percebe ou não que você cortou o cabelo.
25. Se você está assistindo a um jogo com um amigo seu e ele está no mais absoluto silêncio por 45 minutos, é porque o jogo está bom, e não porque ele está de mal com você.
26. O mundo é seu mictório.. (verdade…)
27. Você não depende do seu cônjuge para programar o gravador de vídeo.
28. Cera quente e suas partes íntimas estão sempre a uma distância respeitável.
29. Cabelos brancos e rugas somam charme.
30. Ninguém fica olhando para seu peito enquanto conversa.
31. Você tem um relacionamento absolutamente normal com sua mãe.
32. Você pode comprar camisinhas sem que o balconista faça aquela cara de ‘visão de raios-X’.
33. Se você diz que vai ligar para um amigo e não liga, ele não fica choramingando, e os outros não formam um comitê para solucionar o problema.
34. Você não tem medo da velhice.
35. Você não tem que dispensar uma oportunidade de fazer sexo.
36. Filmes pornô são projetados especificamente para SUA mente.
37. Você não tem que se lembrar dos aniversários de casamento e nascimento de todo mundo.
38. Ter antipatia por ela não o impede de fazer sexo com ela
39. Quando se encontra com os amigos, você sabe que não vai enfrentar a frase ‘Então, está notando algo diferente em mim?’.
40. Seus amigos não o obrigam a falar sem ter sobre o que falar.
41 A continuidade do Universo não depende da roupa de cama ser trocada todo dia.
42. Ter barriga não o impede de usar camiseta.
43. Você se diverte com listas politicamente incorretas na Internet que deixam elas espumando de raiva.
44. Quando elas fazem uma lista esculhambando os homens, você também se diverte.
45. Você não tem um chilique se acha a tampa da privada levantada – e se ela está abaixada você simplesmente a levanta.
46 Por mais imundo que você esteja, tomar banho e arrumar-se integralmente para sair leva apenas 7 minutos.
47. Você não precisa experimentar 9 vestidos para escolher 1 para sair.
48. Você percebe quando um pneu fura.
49. E um pneu furado não o coloca em pânico absoluto à espera do Apocalipse imediato.
50. E você ainda tem saco para coçar!!!

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

DO EGITO À MINHA CIDADE: QUANDO OS INDIVÍDUOS OPTAM PELA CIDADANIA E PELA CONSCIÊNCIA

Alysson Luiz Freitas de Jesus


Esse início de 2011 assiste a uma pequena amostra da capacidade de organização da sociedade diante
de governos opressores e autoritários. A situação do Egito tem sido um bom lócus para a análise da capacidade do
homem se organizar e lutar, como o foi para outras nações nos séculos XVIII, XIX e XX. Revoluções permitiram
ao homem avançar diante da tão sonhada liberdade, contra a opressão dos regimes absolutistas, e fizeram da
França, da Inglaterra e dos Estados Unidos os grandes exemplos de nações modernas, abrindo espaço para que as
mesmas se transformassem nas potências que hoje são. O Egito procura o seu caminho. A minha cidade e o meu
povo, também.
Depois de semanas ouvindo os noticiários sobre a situação do Egito e, sobretudo, depois de pesquisar
um pouco mais sobre o assunto, pude perceber que há um pouco do Egito em muitos de nós, em muitas micro-
realidades espalhadas por aí. Explico. Sou cidadão de Montes Claros, norte de Minas Gerais, e sei bem o estrago
que pode provocar um governo fraco, incompetente e irresponsável, por meio de uma administração inconseqüente,
voltada para interesses pessoais. Existem inúmeras semelhanças entre o universo de poder do senhor Hosni
Mubarak (presidente do Egito) e o senhor Luiz Tadeu Leite, o homem que “comanda” a minha cidade... As
semelhanças saltam aos meus olhos, e espero dividi-las um pouco.
O movimento popular no Egito se dirigira ao governo de Mubarak, no poder há 30 anos. Com eleições
previstas para setembro desse ano, os especialistas na região apontam que o mesmo buscava emplacar o seu filho,
Gamal Mubarak, para sucessor. 30 anos não parecem suficientes para a família Mubarak... Pobre Egito. Homens
procurando o poder eterno.
Pobre Montes Claros... Aqui, na minha cidade, a família Leite também parece entusiasmada com a
permanência eterna no poder. Por aqui, escritores “independentes”, de jornais do próprio prefeito, dizem que o
mesmo foi o único homem “ungido” pelo voto popular três vezes, escolhido democraticamente pelo poder do
voto. Tal como lá, aqui também se percebe a olho nu a intenção do pai Tadeu em emplacar seu bibelô na política,
o pequeno Tadeuzinho (nome carregado de uma originalidade ímpar...). Seria o pobre menino preparado para
o futuro que o espera? Aliás, farei a pergunta certa e manterei a minha ironia: E isso importa?! Afinal, vivemos
em uma democracia mesmo, onde o poder do dinheiro constrói imagens de pessoas sem preparo e sem nenhuma
condição de exercer o poder. Talvez o pequeno Mubarak e o jovem Tadeuzinho até estejam por aí, bebendo em
alguma boate e se deliciando com o resultado do paternalismo... Nunca se sabe.
Voltando às analogias, no Egito, o Parlamento é dominado pelo partido do presidente Mubarak, e
esteve durante todos esses 23 anos a serviço do poderoso presidente, que, por sua vez, também comanda as Forças
Armadas. Como as ditaduras são impressionantes. Dizem que na democracia isso não é possível... Será?
Aqui, o senhor ilustre e poderoso prefeito também exerce os seus poderes. Os vereadores, homens
escolhidos pelo povo, para representar o povo, não passam de um grupo organizado a serviço do prefeito, às vezes
aprovando projetos para o poderoso prefeito às altas horas da noite. Projetos – baseados na democracia – que
passam com uma facilidade enorme, liberando inclusive verbas espetaculares para sustentar-se um time de vôlei,
que, diga-se de passagem, foi feito para o próprio filho, como mecanismo da exposição pública da sua imagem. Êta
democracia sô! Se Mubarak estivesse por aqui, na Câmara Municipal de Montes Claros, ia fazer um estrago!
Ah, isso sem dizer a imprensa e a comunicação. Lá, no Egito, quando o negócio aperta – como tem
sido nessas últimas semanas – a intimidação e a violência se organizam. Repressões a jornalistas e órgãos da
imprensa, proibição do funcionamento da Internet, quebra de sinal de determinadas operadoras de celulares e outras
coisas mais. Ações tipicamente modeladas por regimes autoritários ou totalitários. Que bom que vivemos em uma
democracia, hein?! Bem, você já deve ter notado a intenção da minha ironia...
Aqui, como lá, quando o negócio aperta, o nosso “Mubarak do sertão”, o homem ungido pelo poder
três vezes, utiliza dos seus mais fortes mecanismos de persuasão – já que na democracia, mesmo que o queira,
o governo tem que, no mínimo, tomar muito cuidado com a ação repressiva. Por aqui, os jornais e órgãos de
comunicação que o prefeito controla são usados para desmerecer os interesses populares e os anseios do povo.
Quando o negócio aperta mesmo, lá vai o homem chorar, se dizer perseguido, justamente por ser do povo, humilde
como o povo, com casas em Miami, passando férias nos Estados Unidos ou vivendo das inúmeras posses que
conseguiu nesses anos em que representou o seu povo, humilde como ele. As famosas fortunas inexplicáveis, que
um simples texto, por mais detalhista que seja, jamais conseguirá explicar. Uma democracia a serviço daqueles que
têm o poder financeiro. São as confusões entre democracia e autoritarismo, que fazem de Hosni Mubarak e Luiz Tadeu Leite tão próximos, co-irmãos que nasceram para sugar a alma do seu próprio povo.
Mas o texto em questão tem um tom otimista, por mais que não pareça. Como eu disse no título acima,
em alguns momentos os indivíduos optam pela cidadania e pela consciência. O povo do Egito se cansou. Depois
de décadas de um governo incompetente, ditatorial, sem dedicação alguma às causas sociais, o povo se cansou.
Os egípcios se queixam dos altos índices de desemprego, da corrupção e do autoritarismo, da violência policial,
das leis absurdas do regime, da falta de moradia e das más condições de vida. O roteiro básico. Após 18 dias
de levante, Mubarak deixa o seu cargo. Sua cadeirinha particular que cultivou por “pequenos” 30 anos... Pobre
Mubarak... Sem o poder depois de 30 anos deitando raízes em seu país. Torçamos para o Egito, para que o povo
saiba escolher bem o seu caminho no futuro, e que o pequeno Mubarak não seja a perpetuação do pai ditador que,
enfim, sai do cargo.
Ah, e em Montes Claros, na minha cidade?... Bem, enfim, depois de um bom tempo e de muitas e
muitas razões dadas pela péssima administração do senhor Tadeu, o povo parece ter se cansado – ou pelo menos
uma parcela desse povo. Nos últimos dias, um grupo de pessoas dispostas a repensar o nosso presente e o nosso
futuro saíram às ruas. Para mim, um historiador consciente e cidadão preocupado, devo dizer, é motivo de orgulho.
Perceber que em Montes Claros também encontramos indivíduos optando pela cidadania e pela consciência é
motivo de honra.
Como lá no Egito, aqui acumulamos problemas de má gestão e de caráter, que o prefeito parece se
preocupar muito pouco. Postos de saúde abandonados, cidade com a sua estrutura física caótica, e bairros e mais
bairros tratados como um submundo, abandonando os montesclarenses à sua própria sorte. Esse é o nosso “estado
egípcio”! Sim, Tadeu, nós cansamos!!!
Depois de longos meses falando para o meu povo, silenciosamente, por meio de um simples e inofensivo
blog, pude ver alguns dos meus conterrâneos se indignarem. Alguns desses, meus alunos ou ex-alunos, estão
provando que jovens e adultos, independente da sua condição social ou econômica, são homens dignos e corajosos
para mudar o caos em que vivemos. Sim, Tadeu, nós cansamos!!! Assim como nossos irmãos lá no Egito. Se eu
fosse você, ligava para o Mubarak e perguntava para ele a “receita” para ficar três décadas no poder, já que o seu
poder pessoal tem prazo de validade apenas para 2012.
O futuro nos apresentará alguns dos efeitos práticos dessas manifestações sociais que se organizaram
na minha cidade, assim como esse mesmo futuro apontará os caminhos do Egito. Entretanto, mesmo diante de
um futuro que ainda nos espera, uma coisa é certa: já somos vitoriosos. Já vencemos, pois mostramos que alguns
podem iniciar algo grandioso para muitos, beneficiando todo um povo. E isso, essa verdade, ninguém pode retirar
daqueles que saíram das suas casas nesses últimos dias para mostrar que estamos vivos e somos humanos, e que,
em última instância, queremos apenas respeito.


“A gente quer inteiro, e não pela metade.” Titãs.



Alysson Luiz Freitas de Jesus é professor do Departamento de História da Unimontes e da Rede Privada de
Ensino em Montes Claros – MG.
Doutorando em História Social pela Universidade de São Paulo – USP, publicou o livro “No sertão das Minas”,
discutindo a sociedade escravista e política do Norte de Minas no século XIX.
Recentemente, publicou o livro “1808-2009: Interseções”, pela Editora Annablume – SP, onde analisa eventos
da atual história política e social brasileira sob a ótica do humor e da análise crítica e engajada dos fatos.

O valor da rede. As ligações entre Tunísia, Egito e Montes Claros MG

Esse título parece um tanto estranho, mas vão entender.

Todos estão vendo o que acontece no Oriente Médio e Norte da África. A população cansada dos regimes autoritários, através das redes sociais, em especial o FaceBook,marcaram mobilizações que pararam todo o país.

No início, na Tunísia, o governo caiu rápido. As manifestações na capital mobilizaram não apenas o país, mas uma boa parte do continente africano também. No Egito, Murabak não aguentou o tranco e pediu para sair. Agora, Líbia está nessa luta, e outros países também vão entrar.

Isso não é novidade alguma, pois vimos o império Soviético ruir, e o que restava dele acabou-se há pouco tempo - vide Sérvia-Montenegro. E agora, os países do norte da África estão indo para o mesmo caminho.

Uma observação. A mídia nacional, que nunca decide se o fulano é ditador ou presidente, fala muito em países muçulmanos. Negativo, o Islamismo não tem nada a ver com a guerra política. Tanto é que a Turquia é um país Islâmico e não passa por isso. Na Europa, foi o único país a não sentir a crise. Lembrem-se disso.

Mas e Minas ?

Em Minas Gerais, mais precisamente na cidade de Montes Claros no norte do estado, o prefeito Tadeu Leite do PMDB está enfrentando a fúria dos moradores da cidade.

Como foi reeleito, o prefeito agora gaba-se de ter manipulado toda a mídia local(assim como na Líbia e no Egito os ditadores fazem) e de ter extrapolado nas contas públicas.

Segundo o próprio site do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Tadeu Leite responde por 57 processos, sendo a maioria por improbidade administrativa.

Em um desses processos, Leite gastou R$10 milhões a mais, de um ano para o outro com merendas escolares. O custo passou de R$2 para R$12 milhões. Mas na realidade, essa merenda nunca chegou no prato dos alunos.

Em muitas escolas, os alunos não ganham merenda. Na maioria, as próprias mães fazem doações para que os filhos não passem fome durante o período letivo. Além disso, o prefeito faz crianças andarem até 10 quilômetros para chegar até a aula. Segue o link da matéria (clique aqui)

Revoltados, estudantes começaram um movimento, intitulado #ForaTadeu pelo Twitter. O movimento cresceu, ganhou as ruas da cidade. Mas o prefeito não gostou disso.

Uma manifestação popular acabou em brigas com a guarda municipal, com spray de pimenta e cacetetes nos manifestantes. Vale ressaltar uma coisa. No site do movimento ,assim como no twitter, a principal mensagem é com a insatisfação da administração. Nada partidário. Tanto é que professores, servidores públicos, comerciantes entraram na manifestação.

Agora, o movimento está crescendo mais. Tomando um rumo até um pouco inesperado. Na capital mineira, uma manifestação na Igreja da Pampulha, principal cartão postal da cidade, marcará o início das ações fora da cidade. Pois bem, o motivo é pela represália que os insatisfeitos andam sofrendo. Ameaças de espancamentos, mortes,telefonemas..Todos, segundo manifestantes, ligados ao prefeito local.

Agora cabe a nós, mesmo não sendo moradores, ficarmos calados ou apoiar alguma ação contra o prefeito. Podemos encher a caixa de email da prefeitura, podemos mandar emails para os jornais da cidade. Cada ato, cada tag digitada no twitter, para nós pode parecer pouco, mas para quem vive na cidade, é mais um passo adiante!

Procurada, a prefeitura de Montes Claros negou-se a comentar sobre o assunto. Os veículos de comunicação também não responderam.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Folha assume ter apoiado a Ditadura no Brasil

Reproduzo artigo de Eduardo Guimarães, publicado no Blog da Cidadania:

No último sábado, o jornal Folha de São Paulo reconheceu, publicamente, que pessoas como a maioria das que escrevem neste blog têm razão quando dizem que a grande imprensa brasileira é golpista. A partir desse momento histórico, portanto, espera-se que mesmo os seus simpatizantes mais exaltados parem de contestar o que ela mesma reconhece.

Reproduzo, abaixo, essa matéria da Folha que me foi mostrada pelo radialista Colibri, da Rádio Brasil Atual, durante entrevista sobre os 90 anos do jornal que gravei nos estúdios dessa rádio ontem e que foi ao ar na manhã desta quarta-feira. Em seguida, mais alguns comentários.

*****

A Folha apoiou o golpe militar de 1964, como praticamente toda a grande imprensa brasileira. Não participou da conspiração contra o presidente João Goulart, como fez o “Estado”, mas apoiou editorialmente a ditadura, limitando-se a veicular críticas raras e pontuais.

Confrontado por manifestações de rua e pela deflagração de guerrilhas urbanas, o regime endureceu ainda mais em dezembro de 1968, com a decretação do AI-5. O jornal submeteu-se à censura, acatando as proibições, ao contrário do que fizeram o “Estado”, a revista “Veja” e o carioca “Jornal do Brasil”, que não aceitaram a imposição e enfrentaram a censura prévia, denunciando com artifícios editoriais a ação dos censores.

As tensões características dos chamados “anos de chumbo” marcaram esta fase do Grupo Folha. A partir de 1969, a “Folha da Tarde” alinhou-se ao esquema de repressão à luta armada, publicando manchetes que exaltavam as operações militares.

A entrega da Redação da “Folha da Tarde” a jornalistas entusiasmados com a linha dura militar (vários deles eram policiais) foi uma reação da empresa à atuação clandestina, na Redação, de militantes da ALN (Ação Libertadora Nacional), de Carlos Marighella, um dos ‘terroristas’ mais procurados do país, morto em São Paulo no final de 1969.

Em 1971, a ALN incendiou três veículos do jornal e ameaçou assassinar seus proprietários. Os atentados seriam uma reação ao apoio da “Folha da Tarde” à repressão contra a luta armada.

Segundo relato depois divulgado por militantes presos na época, caminhonetes de entrega do jornal teriam sido usados por agentes da repressão, para acompanhar sob disfarce a movimentação de guerrilheiros. A direção da Folha sempre negou ter conhecimento do uso de seus carros para tais fins.

http://www1.folha.uol.com.br/folha90anos/877777-os-90-anos-da-folha-em-9-atos.shtml


*****

Segundo relato de Colibri, ele trabalhava na Folha na época em que ela não apenas entregou a redação aos militares, mas ajudou-os a prender seus funcionários dentro de suas instalações, o que lhe valeu a piada de que era o jornal de maior “tiragem” do Brasil, pois vivia cheio de “tiras”. E o radialista nega que houvesse algum movimento organizado dentro do jornal.

Mas vejam só que coisa: a Folha diz que sua redação estava cheia de militantes da ALN e que, por isso, permitiu aos militares que fossem prendê-los dentro de suas instalações em vez de demiti-los, por exemplo. Essa era a visão do jornal sobre liberdade de imprensa, então. Isso mostra o quanto é vazio o seu discurso atual sobre o assunto.

A parte mais divertida da nota é a que afirma que “a direção da Folha não tinha conhecimento” de que seus carros eram usados para esse fim, como se fosse possível um empresário não ter conhecimento do que seus funcionários fazem com a sua frota de veículos. Sugere, aliás, que meros motoristas se apropriavam dos veículos para servirem à ditadura.

E um detalhe importante: notem que o jornal não diz que seus carros não foram usados para esse fim, mas que não tinha conhecimento desse uso.

Diante de tudo isso, penso que é plenamente justificável que as pessoas se indignem por os três poderes da República terem ido prestigiar uma empresa que tanto mal causou ao Brasil ao atuar de forma tão ativa em prol da censura e da supressão das liberdades democráticas, castigos a este povo que duraram duas décadas.

Contudo, o desalento com a rendição da República a esse jornal criminoso não altera o fato de que ninguém tem opção de desistir de apoiar este governo ou de deixar de militar em blogs como este. O editor deste blog não tem como desistir nem de uma coisa, nem de outra. É preciso muita “coragem” para desistir. Não sou tão corajoso.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Governador critica vazamento de vídeo, mas não as atitudes dos policiais

O Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, criticou o vazamento do vídeo em que uma policial feminina é despida a força por três homens para ser revistada.

O vídeo ,gravado em 2009, foi abafado pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. O motivo, ninguém sabe o porque.

A policial, que teve sua identidade preservada, estava sendo acusada de receber propina de um detendo. Ao ser indagada sobre o fato, ela negou e foi avisada que seria revistada. Ela concordou, desde que fossem por policiais femininas. E isso é lei, nenhum bandido policial pode encostar em uma mulher. Para isso, existe a polícia feminina.

Por não concordar ser revistada por homens, ela foi algemada e teve sua calça e sua calcinha arrancadas por três homens que, supostamente encontraram R$200, dinheiro da propina digna.

Eis as palavras do Governador sobre o caso:
“Isso é evidente que é grave, e vai ser apurado, como é que um documento interno da polícia acabou indo a exposição pública”, disse o governador após a cerimônia de entrega de 26 novos ônibus para o corredor ABD.

Sobre a ação dos policiais:
"Ele (delegado) tomou a atitude que tinha que tomar para pegar a prova. Um policial sabe o custo das atividades ilegais dele“

Ou seja, para o governador tudo bem uma mulher ser algemada e a roupa arrancada, mas um vídeo vazar sobre o ato ele repudia.

Parabéns São Paulo. Vocês merecem essa administração que bate em professor, estudante, deixa a cidade debaixo d'água e algema mulheres para tirar as calças.

(LINK PARA O VÍDEO)

Pré Carnaval em BH

Ao contrário do meu bilau, as descobertas em Belo Horizonte só aumentam.

Estava com o Ricardo em casa quando fomos encontrar uma amiga, a Naiara(Dum) em um bar na região da Savassi. Uma pequena observação, a Savassi é uma região onde tem muitos bares e é bem agitada, mas é muito elite.

Ao chegarmos ao local do encontro, nos deparamos com um grupo de umas 30 pessoas tocando bateria, daquelas de escola de samba. A agitação era um tanto tímida, mas bem bacana. Tive até a surpresa de ver uma japa. Sabe o que é encontrar uma japonesa em MG?

Mas tinha algo muito diferente nisso tudo. A bateria tocava sem parar, as pessoas dançavam, cada um em seu lugar, sem aqueles exageros de carnaval ou passistas. Mas o público era muito civilizado.

Acredito que 90% estava com cerveja na mão, e nenhuma latinha foi jogada no chão, todas no lixo. Nenhum catador e, com o pensamento paulista infectado pelo pensamento mariliense, nenhum trombadinha rodeando as pessoas. Realmente o clima era de festa e alegria, o que o carnaval tem de ser mesmo!

Agora semana que vem, espero finalmente conhecer Ouro Preto.

Até mais ver!

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Quente por demais

Faz 31 dias que não chove em belo Horizonte. E a cidade pega fogo, cada dia mais...

Estou com uma necessidade muito grande de conhecer algumas cidades próximas a BH. Dentre elas, Ouro Preto, que sempre quis conhecer. Fica apenas 40 minutos de casa, mas essa coisa de contas, correria do dia a dia e tudo mais, e impossibilita de ir pra OP.

Por falar nisso...

Me matriculei no curso de Grego. Sim, depois de aprender Turco de sábado de manhã, vou aprender Grego! Fiz minha inscrição na UFMG, e deu certo,he he he!!!

Agora vamos lá...falar e escrever em Grego. Alguém sabe algo de grego, além de quebrar pratos no chão?

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Questão de ponto de vista

Cabral descobriu o Brasil.
Os índios nada descobriram na terra onde moravam?

O açúcar, o ouro e o café foram nossas maiores riquezas.
A quem essas riquezas enriqueceram?

Em 7 de Setembro, D. Pedro proclamou a Independência.
No dia seguinte, quem ficou mais independente?

Na Guerra do Paraguai, Caxias venceu as batalhas de Humaitá, Avai, Itororó.
Ele sozinho? Quem venceu além dele?

A princesa Isabel libertou os escravos.
Quem os mantinha escravizados? A princesa liderou as rebeliões negras? Não existe mais escravos hoje?

O presidente JK construiu Brasília.
Quem arrastou os sacos de areia, de pedra e de cimento?
Os candangos puderam entrar nos palácios que ergueram?

Tantas histórias, tantas perguntas. Mas fazer parte da história dá para perceber o quanto é importante não se importar com o que as pessoas divulgam.

O Brasil ficou mais de 500 anos na mão dos burgueses, e quando um operário foi coordená-lo, foi motivo de piada. E o Brasil só melhorou.

Todos falam que ele só deu continuidade ao governo anterior.

Não vi o Pró Uni antes. Não vi o "Minha Casa, Minha Vida", o Bolsa Família e a classe C crescendo, as classes D e E diminuindo e os pobres podendo até viajar de avião.

Nunca nesse país a inadimplência foi tão baixa.

E ainda tem gente que fala em "Milagre Econômico".

O Brasil foi comandado pelos burgueses por 502 anos.

O operário entrou e ficou 8 anos. Agora colocou sua sucessora.

Sou totalmente a favor da troca de poder, desde que seja justa.

Portanto burgueses, voltem em 2505

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Mais um dia típico no Tucanomedistão


Parabéns para a administração Demo-Tucano.
O programa "Alaga São Paulo" é um sucesso!

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O difícil Adeus

Ontem foi um dia triste…Mas quero voltar um pouco no tempo.

O ano era 1993. Lembro-me direitinho desse dia. Meus pais ainda moravam juntos, e de quarta-feira, eu e meu pai viamos futebol na televisão. Sempre viamos, principalmente porque era o único dia que eu poderia dormir mais tarde. Eu tinha uma desculpa para isso.

O jogo era Cruzeiro e Bahia. E um moleque deu um show de bola. Foram apenas cinco gols em um único jogo,igualando a marca de muios artilheiros no Brasil. Desde esse dia, todo o mundo ficou sabendo quem era Ronaldinho. Um moleque de 17 anos, que detonava dentro do campo. Dava ao brasileiro o que o brasileiro sempre gostou no futebol. Show de bola!

Depois disso, apenas glórias. Como referência, foi para a copa de 94 nos Estados Unidos, mas nem entrou em campo. Muito sábio o técnico Carlos Alberto Parreira na ocasião. “Levei o garoto porque sabia que ele faria a diferença, mas não naquela copa. Então deixei ele sentir o clima de uma copa do mundo, e o resultado foi esse ai”, disse o tecnico após a copa do Japão e Coreia do Sul em 2002.

Após uma passagem pelo PSV daHolanda, Ronaldo foi para o Barcelona da Espanha. E na minha escola, todos só falavam em Ronaldinho.Lembro que meu pai- que já morava em Foz do Iguaçu- trouxera uma camiseta do Barça pra mim, o núemro 9 nas costas, claro. Ronaldinho era o jogador para nós, moleques.

O cara foi eleito o melhor do mundo. Fazia jogadas mágicas, na linha de Maradonna, Garrincha e tantos outros que também fizeram história no futebol. Não havia quem o parasse. O cara estava jogando muito. Tanto é que foi eleito duas vezes o melhor jogador do mundo.


Veio a Copa de 98 e foi uma grande decepção. Uma convulção, até agora péssmamente explicada, e a final o cara não jogou nada. Perdemos para a França e o Penta fora adiado por quatro anos.

Nesse meio tempo, contusões e uma memorável. Quem não se lembra, e ficou chocado, em seu primeiro minuto de jogo, já na Inter de Milão, quando na tentativa de um drible, o cara tem seu joelho esfolado. Sozinho mesmo. O choro dele foi comovente.

Após isso, ninguém mais acreditava em sua recuperação. Mas veio o triunfo e, na liga dos campeões, foi artilheiro, mesmo não sendo campeão, e a copa de 2002, memorável, o artilheiro e um dos responsaveis pela conquista de nosso penta.

Novamente foi eleito o melhor do mundo. Pela terceira vez, Ronaldo(já não era mais Ronaldinho) chegava onde nenhum outro brasileiro havia chego. O topo para um jogador, que fazia os olhos dos torcedores brilharem quando encostava na bola.

Depois da copa de 2002, Ronaldo relaxou. Engordou, seu futebol não rendeu mais e a Copa de 2006 vei o fracasso. Visivelmente redondo, Ronaldo corria pouco em campo. Já não era mais o mesmo e, infelizmente, não seria nunca mais.

Queria encerrar a carreira no Flamengo(time do coração,que nunca negou isso), mas o time da Gávea nem proposta fez. Veio o Corinthians e aproveitou que o time acabara de voltar da segunda divisão(risos eternos) para formar uma dupla forte de marketing.

Ronaldo ocilava. Alguns jogos arrebentava. Outros nem parecia estar em campo. O Estopim foi a eliminação na Pré Libertadores contra o Tolima esse ano. Mas não vamos nos enganar. Para um cara que aguentou uma pressão de final de copa do mundo por duas vezes, uma Libertadores é fichinha.

EXTRA CAMPO

Não quero falar da vida pessoal dele. Isso só diz respeito a ele e ponto final.

Fora de campo, Ronaldo conseguia fazer outra revolução. Preparou dois jogos beneficentes. Convocado para ser embaixador da Onu, jogou duas vezes no Haiti.
Uma por conta da guerra civil que o país passava, e a segunda em favor as vitimas do terremoto que matou mais de 200 mil pessoas.

Memorável a cena de Ronaldo em um tanque de guerra, sendo ovacionado pela população local.

Além disso, sem a imprensa saber, doava todos os anos R$30 mil para alguma escola de comunidades cariocas. Não, ele não fazia caridade apenas para aparecer, o cara fazia de coração mesmo.

Ronaldo fez inumeros jogadores cair no chão de maduro, mas fora dele, soube dar a mão quando alguém precisava.

O FINAL

Ronaldo merecia um final melhor. Se fosse se aposentar logo após o título da Copa do Brasil, seria mais que um herói. Mas Ronaldo já virou a maior lenda que eu pude ver jogar.

Eu, com meus 25 anos, não vi um jogador melhor que ele. Mesmo porque , Maradonna, Zico, vi no final de carreira. Posso comparar com o Romário, mas Ronaldo fez muito mais. Não criou inimizades.

Ele sai de campo para entrar para a história.

Valew cara… Obrigado por tudo que fez em campo.

Ps. A Seleção Brasileira bem que poderia marcar um jogo de despedia para Ronaldo, Cafú e Roberto Carlos né? Tá na hora da CBF voltar a fazer esse tipo de jogo comemorativo.

Clubes: Social Ramos Clube-RJ (1990 a 1991); São Cristóvão-RJ (1991 a 1993); Cruzeiro (1993); PSV Eindhoven, da Holanda (1994 a 1996); Barcelona, da Espanha (1996/97); Internazionale, da Itália (1997 a 2002); Real Madrid, da Espanha (2002 a 2007), Milan, da Itália (2007 a 2008) e Corinthians (2009-2011)

Títulos: Campeão mundial (1994 e 2002) e da Copa América (1997 e 1999) pela Seleção Brasileira; mineiro (1994) pelo Cruzeiro; da Copa da Holanda (1996) pelo PSV Eindhoven; da Copa do Rei (1997) e da Recopa (1997) pelo Barcelona; da Copa da Uefa (1998) pela Internazionale; da Copa Intercontinental (2002), espanhol (2003) e da Supercopa da Espanha (2003) pelo Real Madrid; Campeão Paulista (2009) e da Copa do Brasil (2009) pelo Corinthians


segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Comenta ai, poxa!!!

É engraçado, mas recebo muitas visitas no blog, e poucos comentários.

Um blogueiro amador, como eu, se anima muito a escrever quando o número de leituras em seu blog aumenta significativamente. E tem aumentado bastante a leitura do Quarto Poder. Mas os comentários estão cada vez mais raros.

Por isso, peço gentilmente para comentar. Poxa, você perdeu dois minutos lendo meu blog, não perderá mais de 40s comentando.

Lembre-se, só existe um blog porque existe leitor. Assim como qualquer mídia ou artista, só existe porque tem o outro lado para ver.

Tem até uns comentários anônimos, que gostaria muito de saber quem é, além do careca , vulgo meu pai, que comenta apenas com patadas(valeu careca, boas discussões estamos tendo).

Então, como está escrito na janela de comentários, "Comentar não cai o dedo". Então vamos lá, pois os dedos não cairão.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

A Censura na Mídia 2

Outro grande problema na censura da mídia é quando ela mesmo faz isso.

Primeiro de forma mentirosa, depois de forma comercial.
Vamos ver

O exemplo da forma mentirosa é o jornal O Estado de São Paulo.

Se abrir o site do jornal, ele mostra acima de todas as matérias um destaque em preto com os dizeres "Estadão, 561 dias sob censura". O que é uma grande mentira.

O Estadão foi proibido de publicar matérias sobre uma operação investigada da Polícia Federal contra a família Sarney. Ok, essa família deveria ter o destino dos Kennedys, mas a questão não é essa.

O jornal foi proibido pela própria Polícia Federal por ser um processo que corre sob sigilo. Isso, todos os jornais fazem. Recebem informações sobre operações da PF, mas a mesma pede para que não faça divulgação. E o que o jornal fez? Divulgou.

Agora, faz essa coisa de estar sob censura e tudo mais. Ou seja, o jornal fez uma autocensura e fica pagando de coitadinho...lamentável.

A outra parte é o apelo comercial. E eu passei por isso já...

Em um dos jornais que trabalhei, tive que omitir muita coisa em matéria minha por conta de interesses políticos. Exemplo.

Ano passado, o Estado de São Paulo teve uma das maiores greves de professores. Cerca de 85% dos professores aderiram a greve. Quando falei no jornal para fazer a cobertura da greve, um responsável do mesmo me falou a seguinte frase:

"A próxima vez que você der ideia de matéria que vai contra o governo estadual, você será demitido por justa causa. E afirmo uma coisa, e essa matéria é você quem vai fazer. Não existe greve, isso é invenção por conta de ano eleitoral, o ensino é bom, tem aula nas escolas e os professores são ótimamente remunerados".

Depois de levar uma dessa na orelha, cheguei ao meu editor e comentei, falando sério.

"Desculpe-me, mas eu posso não escrever coisas que eu quero, mas nunca irei escrever o que eu não quero"

Ele me apoiou, mas disse que o lance político era muito forte, e que eu deveria prestar mais atenção nas reuniões de pauta.

Claro, isso é uma grande verdade, deveria prestar mais atenção onde estava pisando, mas minha ideia de jornal é outra.

O jornal serve para servir. Já que escolas estavam sem aula, alunos estavam sendo prejudicados, mães não tinham onde deixar filhos mais novos pela falta de aula. O jornal presta um serviço para a população. Ou pelo menos deveria prestar.

Eu acredito, e agora falo com opinião mesmo, que o jornalismo sério se perdeu com o tempo. Hoje nada mais é que um jogo político de interesses. Ou alguém ainda acredita que um dia ,Veja, Estadão, Folha, Globo vão concordar que o último presidente foi um dos melhores líderes que esse país já teve?

Antes que alguém fale nervoso nos comentários, tente lembrar que eu venho de escola pública, que alunos batiam em professores, cheiravam cocaina na sala de aula e ocorria, com frequencia, relações sexuais dentro da escola. E se não fosse pelo Pró Uni, hoje seria um mero operador de telemarketing!!!

Feliz aniversário

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Black Soul Foda

Muito interessante o lugar que conheci aqui em Belo Horizonte no último sábado. Bem no centro da cidade, em uma rua em frente ao Mercado Municipal, das 15 as 22hs todos os sábados, tem o Quarteirão do Soul. Um quarteirão que tica apenas Black Music.

O mais interessante é o tipo de público. Resolvi chegar cedo, para conseguir ver o tipo de público. Nisso acabei ficando com um pensamento um tanto paulista/paulistano. Cheguei cedo para ver se acontecia o mesmo que aconteceu em SP*.

Por volta das 17 horas, já ouvia o som forte vindo de uma aparelhagem de som visivelmente simples, mas o som e a qualidade, estavam perfeitos. Gente de todos os tipos.

Um senhor de terno e gravata e óculos escuros dançava que tomava toda a pista. Outro estava de boina militar, camisa de algum cantor famoso de Black Music, e fazia passos duros. Deveria ser realmente militar. As mulheres, algumas de dreads, apenas olhavam os homens a distância a dançar. Algumas arriscavam alguns passos, mas queriam mais era ficar debaio de alguma sombra, escondendo-se do sol.

A roda contava com mais gente olhando que dançando. Alguns mendigos começaram a aparecer. Algumas meninas, que estavam bem produzidas, bebiam cerveja. Sentadas na beira de um bar. Algumas com namorados, aliança nos dedos, e outras sozinhas. Todos rindo e tomando suas cervejas.

Quando foi anoitecendo, cada vez mais gente chegava para dançar ao som de Black Music. Deveria ter umas 2 mil pessoas alí. Só pra ouvir som mecânico. As pessoas mesclavam movimentos lentos, rápidos e aquelas danças timidas, onde as pessoas apenas movem a cabeça e batem os pés. O cenário misturava a dança das pessoas com a sombra da iluminação, tornando um desenho que parecia ser de nanquim. Como queria ter uma máquina fotográfica naquele momento.

Como sempre falei, Belo Horizonte é uma cidade em que a cultura é extrema. O acesso é muito mais fácil do que São Paulo, por exemplo. Não é a toa que Bh é conhecida como a capital cultural do Brasil. E eu tenho tirado a prova disso cada vez mais

*Certa vez fui a um evento de Black Music em SP. Muita gente olhava torto pra mim. Eu não sei porque em São Paulo sempre tem essa divisão de ter um esteriótipo e não poder frequentar certos lugares. Com o metal era assim e vejo que SP tem isso muito evidente.

Ps. Amanhã irei ver o show de Flávio Venturini, 14 Bis e Sá & Guarabira. E viva BH

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Fato

TV Cultura persegue representação dos trabalhadores

A proposta da atual gestão da Fundação Padre Anchieta, presidida pelo economista João Sayad, é reduzir o quadro de funcionários e cortar parte das produções próprias reduzindo ao máximo o custo de manutenção da emissora. Estas informações são de conhecimento público e, no momento, os trabalhadores estão intimidados e vivem um verdadeiro clima de terror e insegurança.

Mas é sonegado ao cidadão quais os verdadeiros interesses que levam ao sucateamento do patrimônio público e o fato de que alguns dos cortes não tiveram o objetivo de aliviar os cofres da Fundação Padre Anchieta. Na verdade, o desmonte da TV Cultura não é feito apenas para alterar a grade da programação, o que é grave pois ameaça a função pública, educativa e cultural da emissora, mas tem também o objetivo político de eliminar as representações diretas dos trabalhadores nas instâncias internas da Fundação Padre Anchieta. A proposta é acabar com qualquer possibilidade de reação ou de organização interna que possa questionar a proposta de sucateamento da emissora.

Em fevereiro não foi renovado o contrato com a TV Assembléia, o que representou a dispensa de 78 profissionais (absorvidos pela Fundação para o Desenvolvimento das Artes e da Comunicação – Fundac, contratada pela Assembléia Legislativa para manter a TV no ar), além da demissão de mais 150 funcionários da TV e Rádio Cultura.

Dentre os demitidos, além de profissionais com mais de vinte anos de casa, estão dois jornalistas (um da rádio e outro da TV) eleitos pelos colegas para representá-los na Comissão interna criada pela própria presidência, exatamente para acompanhar todo o processo de reestruturação. Essa Comissão foi resultado de reunião entre os Sindicatos dos Jornalistas, dos Radialistas e a diretoria da fundação no final de 2010 e implantada no que parecia um processo saudável de diálogo. Agora, com a confiança quebrada, a Comissão desmontada sem qualquer possibilidade de negociação a situação fica mais dramática.

Também foi demitido o segundo candidato mais votado entre os funcionários para ocupar a vaga dos trabalhadores no Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta e que era abertamente defendido pelos colegas para se recandidatar na próxima eleição. Aliás, o representante anterior dos funcionários no Conselho Curador também foi demitido, restando apenas o atual que está gozando a estabilidade do mandato, pois, o estatuto da fundação obriga a TV Cultura a manter essa vaga.

Existe uma clara manobra para impedir que os trabalhadores da Fundação Padre Anchieta, profissionais dedicados a fazer da Rádio e TV Cultura emissoras diferenciadas, possam questionar as decisões imperiais impostas pela atual direção.

A Rádio e TV Cultura é uma alternativa à mediocridade da programação que domina as TVs comerciais, tem a missão de divulgar cultura, informação e lazer de qualidade e é um patrimônio da população. Não podemos permitir que a administração estadual destrua aquela que já foi a melhor TV pública do Brasil e modelo para as emissoras culturais e educativas de todos os estados do País. A população vai reagir a esse descalabro?

Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Paulo

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Depois dizem que é implicância minha

Publicado no site do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo em 07 de fevereiro de 2011 (Clique aqui)


A Fundação Padre Anchieta de São Paulo, gestora da TV Cultura, anunciou nesta segunda-feira (dia 7) a demissão de 150 funcionários. São jornalistas e técnicos da rádio e televisão, que foram incluídos no “pacote” de desmonte da única emissora pública vinculada ao governo de São Paulo.

Entre os demitidos não figuram os trabalhadores da TV Assembleia, que já assinaram aviso prévio na semana passada, mas que serão absorvidos pela Fundação para o Desenvolvimento das Artes e Comunicações (Fundac). Dez do total de afastados são jornalistas, que fazem parte das redações da TV e Rádio e da Assessoria de Imprensa da emissora.

Segundo o departamento de Recursos Humanos da emissora, os trabalhadores demitidos receberão todos os direitos trabalhistas e lhes será garantido ainda 3 meses de assistência médica e vales-refeição.

O presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, José Augusto Camargo (Guto), que no ano passado esteve reunido com o presidente da Fundação Padre Anchieta, João Sayad, diz que o Sindicato se empenhará para estancar as demissões, além de estar atento para que todos os direitos trabalhistas sejam garantidos. “Para isso, formatamos uma campanha junto com outras entidades, a “Salve a Rádio e TV Cultura” com o intuito de denunciar o desmonte da única emissora pública do povo de São Paulo. A campanha tente a ser retomada com força”, diz.

O projeto da atual gestão da Fundação Padre Anchieta, ligada diretamente ao governo de São Paulo, é reduzir o quadro de funcionários e efetuar corte de verbas em algumas de suas produções. Com isso, pretendem economizar cerca de R$ 9 milhões em relação a 2010 às custas dos empregos. O orçamento de 2011 é menor do que o de 2010 - R$ 221,05 milhões, contra 230 milhões de do ano passado.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

A censura da mídia 1

É engraçado,mas em pleno ano de 2011, os jornis que sempre falaram que o governo censurava publicações, que a censura era uma afronta para o povo, move um processo contra um blog de sátiras.

A história é a seguinte.

Dois irmãos, Lino e Mário Bocchini, criaram o blog Falha de São Paulo para satirisar a postura do jornal, que durante a campanha presidencial virou palanque eleitoral de José Serra. O site/blog era irreverente, com sátiras às capas, reportagens e colunistas. Sempre com o bom humor na frente.


Após isso, os irmãos foram processados pela Folha – o SEGUNDO maior jornal do Brasil – por “uso indevido da marca”. Além disso, alegaram que o leitor da Folha poderia se confundir ao entrar no site da Falha e entender que aquilo é o jornal.

Ok ,vamos entender?

O site/blog chama-se Falha de São Paulo, com a logomarca realmente semelhante a da Folha,propositalmente. Quando o site era aberto, vinha uma foto de Otávio Frias, vestido de Darth Vader.

Não é possível um leitor da Folha de São Paulo, jornal direcionado para as classes A e B, e com toda a cultura que as classes têm acesso, como um leitor da Folha vai achar que está entrnado no site do Jornal com uma foto dessas?

O blog nunca ganhou dinheiro com isso. E sabemos muito bem que blogueiro qe ganha grana é só o Noblat, fora ele, nenhum vive do blog. Essa atitude da Folha de SP é um atentado a Liberdade de expressão no Brasil.

Mas a Folha deu um tiro no próprio pé ao entrar em processo contra o blog. Inúmeros meios de comunicação,sites e blogs criticaram a postura do jornal, que deveria ter apenas dado as costas para os irmãos que a poeira baixaria. Para ter uma ideia de quem se manifestou contra a ação da Folha contra a Falha: Finalcial Times, Wikileaks, Repórter sem Fronteiras, JP Barlow, Gilberto Gil, José de Abreu entre outros.

É incrível como a Folha de SP não se deu conta da força que a internet poderia ter contra o ato do jornal. Depois da tag no twitter do #folhafacts , quando descaradmente atacou uma das candidatas para a presidencia ano passado, a ombudsman da Folha, Suzana Singer, que reconheceu que a empresa errou em processar um blog.

No artigo intitulado “David e Golias”, Suzana termina confirmando que “o processo é mais prejudicial para a Folhado que para o blog”.

A Folha até noticiou há pouco, porém omitiu que a empresa pede uma grana alta contra os jornalistas. A Folha não completou dizendo que o processo rendia uma multa diária contra um blog humorístico.

É engraçado, pois a Faux News tira um sarro gigante da Fox faz um bom tempo e nunca precisou responder nada na justiça.

Esse é um dos motivos que defendo a não leitura de Veja, Folha, Estado, entre outrosveículos. Quer se informar? Procure veículos sem apoio político.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Eu ia fazer um texto bem legal

Mas a situação merece um post que acabo fazendo todos os anos. Chamaria de re-repost

Clique aqui

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Egito

O assunto do momento é o que está rolando lá longe. Tunísia, Egito etc... Mas quero falar de outro modo.

Claro que apoio o que acontece lá. Ditaduras só acabam com o povo, veja o exemplo do Brasil militar, da Argentina, de Cuba até hoje entre outros... Mas no Egito, o buraco é mais em baixo.

Os manifestantes estão contra a opinião de países poderosos, que exploram o local, como os EUA(que novidade!!!). Agora, os EUA, vendo a situação, falam que querem ajudar a implantar a democracia no país.

Espero que não queiram colocar como fizeram no Iraque.

Mas sabe o que é mais estranho?

Eu estou com uma vontade absurda de ir pra lá. Mas pra participar, cobrir os fatos, ver de perto essa revolução.

Algumas semanas atrás eu postei um texto falando de como é bom participar da história, saber que o que você está passando, futuras gerações irão estudar, e você poderá contar com suas palavras, seus olhares dos fatos e não omitir os fatos que a história sempre faz.

Uma vez, na faculdade, uma professora perguntou para a sala quem queria um dia cobrir uma guerra. Apenas eu e mais uma pessoa,não me recordo quem, responderam que queriam.

Claro, que uma dessas pessoas politicamente correta, que faz tudo o que a sociedade manda, começou a fazer criticas. Mas o sonho da pessoa era trabalhar no Santander... Foi a minha resposta.

Uma vez, conversando com o Caco Barcelos, perguntei da experiência de cobrir uma guerra. Ele pausadamente respondeu que é algo inesquecível, e que a gente nunca mais é o mesmo depois disso.

Se em cada viagem minha eu não volto o mesmo, imagine se eu cobrir uma guerra...

Ajuda necessária…ou não

Acredito que todos no Brasil ficaram comovidos com o descaso para com a população carioca na questão das chuvas.

Não teve governo federal,não teve estadual e menos ainda municipal para ajudar uma tragédia anúnciada, pois todos os anos é a mesma coisa, porém cada ano fica pior.

Mas o que eu achei estranho é o tipo de ajuda. Milhares de pessoas tiveram a solidariedade de doar, nem que fosse um quilo de feijão para os desabrigados. Pode parecer pouco,mas para quem precisa é bastante. Eu sei porque passei aperto em Marília e meu chefe, Marcelo Muriyama me ajudou nessa parte.

O problema é como e que forma. Desvios sempre terão, principalmente de militares que são treinados para serem corruptos,isso é fato. Mas tem tipo de ajuda que é desnecessária. Como assim? Explico.

Os jogadores do Clube Atlético Mineiro, vulgo Galo, fez uma campanha forte de arrecadação para os desabrigados. Ficaram de plantão em um shopping grande na cidade para isso e passaram o dia dando autógrafos e recolhendo doações…para o Rio…Porra!

O Sul de Minas Gerais está em situação parecida. A diferença é que são várias cidades e não tem o apelo midiático que o Rio tem. E os caras do próprio estado, ao invés de ajudar os mineiros, preferiram ajudar o Rio. Por que?

Porque é no Rio que dá mais visibilidade na mídia. Lá é que pode ser um espelho para falarem “Olha,que legal,a boa ação do Atlético para os desabrigados,que bonito”. Desculpem-me atleticanos,mas vão se foder!

Quer cooperar, começe com seu vizinho. Ele agradecerá de maior coração.

Contador Grátis