quinta-feira, 28 de julho de 2011

Vai faltar pulso para FHC

Universidade francesa Sciences concederá título de Doutor Honoris Causa ao Lula 

A universidade francesa Sciences Po concederá um título de Doutor Honoris Causa ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A cerimônia de outorga ocorrerá na França, no dia 27 de Setembro.

Lula será a a 16ª personalidade – e a primeira latino-americana – que receberá essa láurea desde a fundação da Sciences Po, em 1871. O último a ser titulado Doutor Honoris Causa pela instituição foi o ex-presidente tcheco Václav Havel, em 2009.

Jean-Claude Casanova, membro do Instituto da França e presidente da Fundação Nacional das Ciências Políticas, pronunciará o “elogio do impetrante” e outorgará o título de Doutor Honoris Causa em presença dos professores da universidade.

“Essa láurea, mais do que um reconhecimento pessoal, é uma homenagem ao povo brasileiro, que nos últimos oito anos realizou, de modo pacífico e democrático, uma verdadeira revolução econômica e social”, ressaltou o ex-presidente.

Sobre a Sciences Po

A Universidade Sciences Po é uma instituição de ensino superior e de pesquisa em ciências humanas e sociais. A instituição atribui 37% do seu orçamento à pesquisa científica e que se caracteriza por uma forte internacionalização. A universidade tem 10 mil estudantes, dos quais 40% são estrangeiros, oriundos de mais de 130 países.

Notabilizada pela formação de líderes políticos, a Sciences Po tem entre seus ex-alunos os ex-presidentes franceses Jacques Chirac e François Mitterrand, além do príncipe Rainier III de Mônaco, do ex-secretário-geral da ONU Boutros Boutros-Ghali e do escritor Marcel Proust.

Homenagens

Este será o sexto título de Doutor Honoris Causa recebido pelo ex-presidente, que já foi laureado pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), em janeiro; pela Universidade de Coimbra, em março e pelas universidades de Pernambuco (UPE), Federal de Pernambuco (UFPE) e Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), em julho.


Leia mais em: O Esquerdopata: O Cara receberá mais um título de Doutor Honoris Causa
Under Creative Commons License: Attribution

quarta-feira, 27 de julho de 2011

A paixão, a devoção,a realidade

Ontem conheci uma estudante de jornalismo muito gente boa. Joana, estudante ainda no início do curso, em Itajaí - SC. E lembrou uma coisa que parecia que eu havia perdido, e me fez resgatar lááááá do fundo um sentimento bem bacana.

Quando a gente entra na faculdade de jornalismo, somos sonhadores e apaixonados por isso. Nossa cabeça viaja muito em ralação ao nosso futuro profissional. E por um lado me senti um tanto...velho ¬¬

Sério. Vendo pelos lugares que já passei, como jornais, guia de turísmo, SSP dentre outros, Joana ficava me perguntando da area, sobre a rotina e claro, sobre seus sonhos de jornalista. Percebi em seu olhar uma paixão pelo jornalismo que fazia tempo que não via. O brilho no olho, a vontade de trabalhar em diário factual. Nem Duda Rangel conseguiria destruir esse brilho.

Mas nem tudo é um mar de rosas. A area é complicada demais. Mas quem quer,sobrevive. Vejo exemplos de colegas de classe, que sempre cito como ótimos focas. Rodrigo Casarin,Igor Penteado,Carlos Bazela, Thiciane Santana,Adriana Matos... Todos conseguindo caminhar e vencer como comunicadores (outros como mestre cervejeiro,mas é outra história), e o pavio dessa paixão parece que nunca nos foi tirado.

Claro que ainda iremos tomar muitos tombos - como eu estou tomando e tomei -  mas são coisas que só irão nos tornar maiores e, quem sabe um dia,referência na profissão. Eu sei que ao menos um desses nomes citados será referência...O,se será.

domingo, 24 de julho de 2011

Fazer o que...

Fazer o que em São Paulo? Fazer o que em Nova Iorque? Fazer o que com o tempo? Fazer o que com o nascimento diário do sol? Fazer o que com as granadas se estilhaçando em fragmentos? Fazer o que, caso ela tenha o filho? Fazer o que, se acabar a luz? Fazer o que, se formos atacados por jaguatiricas? Fazer o que, se tudo voltar ao normal? Fazer o que com a comida estragando? Fazer o que com tudo o que aprendi? Fazer o que com as palavras? Fazer o que com a humanidade? Fazer o que com a cidade presenteada? Fazer o quecom a indiferença do que é verdade e mentira? Fazer o que para alguma coisa ter sentido?
Por que luto para conservar a minha vida? Por que tomar duas pílulas para dormir? Por que não me transformo num ponto entre o Céu e a Terra? Por que tudo isso aconteceu? Por que a velha não entrou em contato? Por que o puma não me atacou? Por que Stellinha dormiu com o pai da melhor amiga? Por que Martina abriu o seu corpo para mim? Por que fomos os escolhidos? Por que temer a morte? Por que temer a vida?
Talvez valesse a pena esperar. Talvez devêssemos ter filhos. Talvez encontrássemos uma cidade habitada. Talvez tenhamos morrido na caverna. Talvez eu não tenha câncer. Talvez devêssemos saltar de cidade em cidade, inconseqüentemente. Talvez o páraquedas não abrisse. Talvez valesse a pena viver. Talvez valesse a pena morrer Talvez eu me transforme num pequeno ponto entre o Céu e a Terra. Talvez a vida não fosse tão triste, nem tão repetitiva. Talvez eu ame Martina. Talvez eu ame Mário. Uma nuvem de poeira, flutuando entre o Céu e a Terra, entre a vida e a morte.
O saco é que eu pensava demais. Fazer o que se eu pensava tanto? Por que eu pensava tanto? Talvez eu não devesse pensar tanto. Talvez.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

A alegria mineira

Hoje no metrô de BH teve uma cena um tanto inusitada.

Estava indo ao QG quando sentou ao meu lado um senhor já com aparência um tanto gasta por conta do tempo. Óculos grandes com lentes grossas, batia em seus livros com dois lápis como se estivesse em uma roda de samba.

No outro branco, um senhor negro, magro, um tanto alto, com voz de intérprete de escola de samba, um cavanhaque já branco pela idade; Cabelos pelo visto era algo que ele não sabia o que era fazia tempo.  Cantarolava um samba mais ou menos assim:

“Quem não tem mão,meu amigo, é maneta (2x)
E quem não perna, é o perneta
Eu que não tenho punho
Sou um cara porreta”

Todos deram risada. Um samba gostoso de ser ouvido, bem calmo e relaxante. E quando olho para esse senhor,não é que ele realmente não tinha parte do braço esquerdo. Olha só, levando uma coisa que muitos pensam ser uma dificuldade com enorme bom humor.

E vejo que é assim que o povo mineiro vê tudo na vida. Com um enorme bom humor, onde tudo que é ruim na vida “ uma hora passa”, como falava em uma conversa duas senhoras no mesmo metrô...

E não é que elas estão certas...?

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Professores em greve. E a novidade?

Não é nenhuma novidade o governo Tucano deixar de lado o básico para uma população e ir sempre pelo interesse do partido. Passei muito por isso em SP,principalmente por estudar em escola pública a minha vida inteira. Depois de “véio” tive que usar a rede pública hospitalar e nem vou falar da Polícia tucana que só serve para bater, seja em estudante, idosos ou professores(até neles mesmos).

Ontem,saindo do trabalho, passei pela Pça da Liberdade e acabei pegando sem querer uma greve de professores da rede estadual. O mais engraçado é que os professores estão em greve há 28 dias e o principal jornal do estado, Estado de Minas, não anunciou. Sério, é a terceira greve que pego em BH e pelo que percebi, para esse jornal a greve só existe o fim. Nunca ocorre o começo e o meio da greve. Por que isso? Porque é um jornal Tucano, que tem histórico de censurar a mídia (Como acontece em SP com a Folha,Estadão,Globo etc).

Voltemos a educação...

Os professores faziam apenas uma reivindicação. Que o governador Tucano Antônio Anastasia cumpra a lei Federal e pague aos professores o piso nacional. Nada mais que isso. Não querem aumento,benefício, só querem que a lei seja cumprida. E o Governador nem atende os professores, faz de conta que não existe greve e ainda copia a frase do Coiso de SP “Meia dúzia de professores fazendo barulho pra agradar o PT”.

Bom, na greve que vi hoje, segundo a PM tinham duas mil pessoas, mas haviam passado mais de quatro mil durante a tarde. Mas não eram apenas de Belo Horizonte, eram de várias cidades do interir de MG também.

Agora eu pergunto, como alguém ainda apoia o governo do PSDB? Desculpe-me se ofender alguém ,mas quem apoia o descaso da educação, da segurança e da saúde, realmente tem um QI muito abaixo de uma ameba... Ou então é elite né, porque não precisa de escola pública para os filhos, usar o sistema público de saúde....

Contador Grátis