terça-feira, 13 de setembro de 2011

Professores em greve se acorrentam em protesto

Hoje, andando as 7h na Praça 7, no centro de BH, vi uma movimentação um tanto estranha. Algumas pessoas estavam com cartazes, porém como estava por ali para ir à Unidade de Atendimento Integrado(UAI) para procurar trabalho, não pude parar para ver o que era.

Chegando em casa, vi que o jornal O Tempo deu a primeira nota. Com foto do sistema de câmeras da BHTrans – responsável pelo trânsito na cidade, mostrava os professores acorrentados no pirulito no cruzamento das avenidas Afonso Pena e Amazonas.

Os professores irão completar 100 dias de greve amanhã, reivindicam o pagamento do piso salarial determinado pelo STF. O governador Antonio Anastasia se recusa a pagar o que o STF decidiu, um mínimo de R$720. Enquanto isso,o holerite dos professores acaba vindo pouco mais de R$350. Cerca de R$200 vem através de subsídios.

Os professores ainda pedem que volte o plano de carreira, totalmente excluído no governo tucano em Minas Gerais. O governador não quer negociar com a categoria sobre o plano de carreira, e diz que todos os professores concordaram com a situação.

Comprando a mídia local, o governo do PSDB faz anúncios que está tudo bem e mil maravilhas dentro do estado. Uma grande mentira.

No domingo, escutando a Guarani FM, um anúncio do governo falava que a greve era mínima, e que perdia força pois os professores aceitaram o que o governo havia indicado, de pagar parte do salário em subsídios. Mais trambicagem impossível.

Como de característica, o governador falou mais uma besteira sobre a greve. Em Diamantina, na tarde de ontem, Anastasia enfrentou um protesto silencioso, onde os professores soltaram balões pretos com a frase “Queremos o Piso e a Carreira Integral”. O governador falou que não havia efeito prático a manifestação e a greve iria cada vez perder mais força.

Os professores foram inibidos pela guarda local de continuar sua manifestação(contrariando a constituição). Milagrosamente, o ditador Anastasia não pediu para sua guarda usar a violência, tomando o exemplo do amigão tucano José Serra.

Vale lembrar que em Maio, o governador enfrentou um protesto em Ouro Preto e tirou um sarro dos professores que usavam um chapéu pontudo e foram chamados de “Harry Potter” pelo coroné Anastasia.

Por quanto tempo a greve irá durar é uma incógnita, porém vale uma reflexão. Assim como em SP, os professores de Minas Gerais enfrentam uma ditadura do governo tucano que nega uma negociação justa com a categoria.

Será que o governador esqueceu o papel de um professor na vida das pessoas? Pelo visto, os tucanos querem que a educação pública vá para o esgoto afinal , a elite tem como pagar o estudo de qualidade. E eles governam para tal.

Nenhum comentário:


Contador Grátis