sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Kristinn Hrafnsson, atual porta-voz da Wikileaks, fala com exclusividade ao Quarto Poder


Como proteger as fontes e os blogueiros agora, onde muitos sofrem ameaças e são perseguidos?
KH – Não é uma pergunta e uma resposta tão simples. Temos diferentes culturas, etnias e fontes no mundo todo. Depois que vimos às coisas com o Governo Americano, muitos querem ajudar, mas poucos realmente trazem algo de relevância, mesmo porque tem gente que chega e quer apenas se aproveitar, até saem falando que ajuda a Wikileaks, mas nós nunca iríamos mostrá-las. Nós estamos sofrendo com tudo o que você pode imaginar. Pense bem, acusaram eu e Julian (Assange) de traição, porem nós apenas procuramos mostrar nada além da verdade. Esses documentos que pegamos são sérios demais, afinal mostramos documentos de invasões americana ao Afeganistão em Abril de 2001, antes do 11 de setembro. Agora, cada passo que damos, estamos sendo vigiados. Se falássemos quem são nossas fontes, imagine o que aconteceria com essas pessoas.


Você e Julian podem falar que hoje são os Deuses das informações agora?
(risos). Não sei se deuses, mas pensar que podemos salvar muita gente e destruir a vida de muitos é um tanto paradoxo. Eu acho que batalhamos para manter a informação mesmo, e nós sempre divulgamos a íntegra dos documentos. Mas agora que você falou,é um tanto estranho pensar essas coisas não acha?


O que o Sr. Sabe do Brasil em relação a política de informação?
Sei que o Brasil é um país onde poucos dominam a informação, são quatro ou cindo famílias, certo? Mas é ai que mora o perigo. A web é de extrema importância para vocês do Brasil, já que foi ela quem derrubou muitas mentiras e conseguiu que o plano de um governo mais voltado para o Socialismo seja mantido. Sabe, o que sempre ouvíamos falar do Brasil eram corrupções e corrupções. De uns 6 anos pra cá, isso mudou muito. Hoje, sabemos que o Brasil tem um potencial incrível, que através da web derrubaram mentiras em campanha, montaram sites informativos que vão além do carne com batatas( expressão que podemos traduzir também como arroz com feijão), realmente informa as pessoas. O problema é que muitos desses sites de informação são esquerdistas, então deve-se tomar muito cuidado com isso. Sei que o Brasil está mudando, que agora a informação está sendo mudada e as pessoas não acreditam mais na grande mídia, apenas uma pequena parcela. Espero que vocês, blogueiros e ativistas das redes sociais, continuem com esse fôlego, pois o Brasil tem muito a ensinar o mundo, principalmente depois que elegeu um cara pobre que veio do sertão, onde muitos brasileiros sofrem. Acho que ele soube olhar para quem precisa e a mídia, esmo querendo derrubá-lo, não conseguiu pois a verdade desta vez prevaleceu.


E musica brasileira, o senhor conhece ou gosta de algo?
Não ouvi muito de musica brasileira. Foi bem pouco e era quando algum amigo me mostrava algo. Estou em tantas viagens, tantos compromissos que por agora fica difícil eu ate ouvir o jazz que gosto.


Mas nem “É o Tcham” o senhor conhece?
Não,nunca ouvi falar, é algo relacionado ao Jazz ou a música raiz do Brasil?
Quase isso, lembra muito o movimento do Jazz nos anos 60.
Obrigado pela dica,vou escutar. ATÉ LOGO(falado em português)

Nenhum comentário:


Contador Grátis