quarta-feira, 30 de maio de 2012

Balanço do 3º Encontro Nacional de Blogueiros

Ocorreu no último final de semana, em Salvador Bahia, o 3º Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas. Farei meu balanço para que assim, quem sabe alguém da organização, do Barão ou quem quer que seja veja e acate como uma crítica construtiva, para que os próximos encontros sejam melhores.

Primeiro, reclamaram muito de atrasos. Desta vez não poderei falar sobre isso, afinal, atraso é comum e não creio que tenha atrapalhado tanto o evento assim. O que atrapalhou foi o local escolhido para a realização. Um hotel longe de tudo, sendo que os participantes foram divididos em dois hoteis. Eu fiquei no hotel mais longe, e tive que pegar um ônibus no domingo pois falaram que o transporte sairia às 9h, sendo que o mesmo saiu as 8h30. Mas isso é coisa que a organização deveria se preparar. Ora, calculando o número d epessoas presentes no encontro de Brasília, bastava escolher um hotel que comportasse tudo.

Em relação as mesas, tenho uma crítica forte a lançar. A mesa das 9h de sábado, com Paulo Henrique Amorim, Eduardo Guimarães, Esmael Moraes, Maria Frô... Incrívelmente depois de cada um falar por quase 20 minutos, foi aberto espaço para TRÊS PERGUNTAS. Fui o primeiro a levantar a mão, Frô apontou pra mim e quando cheguei a mesa, ela mesma me falou que não poderia mais pois já haviam 3 crachás na mesa. Depois de insistir, fui autorizado a fazer minha pergunta.

Ai vem meu questionamento. Nós, blogueiros da informação independente, lutamos pela liberdade e democracia. E que raios é um evento como esse que quatro pessoas falam por hora e depois só podem ser feitas três perguntas. E como diria a Maria Frô "Bem rapidinhas". Por favor, muitas vezes precisamos explicar um ponto para efetuar uma pergunta. Eu tentei ser breve e acabei me enrolando. Poderiam ter feito igual no BlogMundo, que as perguntas chegavam durante as palestras por escrito. Mais dinâmico e direcionado, além de economizar tempo. Fica a dica para o próximo encontro.

Outro é pela escolha da mesa. EduGuim, Maria Frô, Renato Rovai... São pessoas que têm um vasto conteúdo, mas está repetitivo. Já sabemos da militância e importância de Frô na Blogosfera, de comoo Blog da Cidadania é importante e lido e como a Fórum mudou maneira de ifnormar, além da experiência de vida de todas as partes. Mas muitas coisas ditas ali são nossas lutas do dia a dia, já estamos carecas de saber. Seria bom pegar outras pessoas. Acharia mais bacana ter colocado o documentário "De Ferro e de Flor", na mesa principal, afinao foi um blogueiro assassinado, e muita gente ali ficou sem saber. Fora que temos exemplos de blogueiros com problemas, como eu tive, sem que tenha tido um espaço bom pra isso. Eu t ive um minuto no encontrn acional de Brasília. Temos o Lino Bocchinni, que está sendo processado pela Folha que teve uma mesa no encontro de Brasília na parte simultânea. São casos que merecem destaques maiores, acredito eu.

O formato das mesas está cada vez mais lento e massante. Escutar gente falando, ai um mediador começa a falar só pra passar o microfone pra outra. onde existe um debate? Deveríamos colocar em pauta um assunto( o que até é sujerido,mas nunca cumprido) e cada um colocar seu ponto de vista, para assim criar um debate. Ninguém fala nada depois disso e fica por isso mesmo. Seria interessante chamar Paulo Henrique Amorim junto com pessoas ligadas ao movimento LGBT, pois assim seria um debate quente. Apenas uma ideia, fazer debates, não mesas de palestras onde as pessoas passam por estrela.

Seria interessante demais chamar pessoas que fazem blogs em cidades pequenas, pois estas sim sofrem de perseguições. Quando fui ameaçado em Foz do Iguaçu pelo calunista do jornal O Iguassu, percebi que ameaças a blogueiros são constantes. Mas estando em uma cidade de médio/grande porte, isso são apenas palavras jogadas. Aposto que Maria Frô era ameaçada na campanha de 2010, que o EduGuim recebe respostas ameaçadoras, mas em cidades pequenas,as ameaças são diferentes, pois encontra-se mão e palmatória toda hora.

Os quartos foram separados por homem e mulher. Ou seja, casais foram separados. No hotel fora do evento, Leandro Fortes estava separado de sua mulher. Tivemos que fazer uma troca de pessoal para que casair ficassem juntos. Isso é algo que não pode acontecer. Em Brasília dividi o quarto com Alexandrina Motta do Ceara e ganhei uma grande amiga, hospedando sua filha em casa quando morava em Belo Horizonte.

Em relação a alimentação, contei 10 pessoas que passaram mal. Vamos ver isso, pois intoxicação é algo muito sério, especialmente em um hotel.

Então, meio por cima, essa é minha crítica. Vamos colocar caras novas, vamos mudar a menira que o evento é tocado, afinal isso só vai melhorar. na Bahia ficou um evento lento, massante que não agradou muitos não. No final, o balanço foi o mesmo. "Valeu por ter reencontrado amigos e feito novas amizades". Precisamos sair do encontro com novas atitudes, novos rumos e com satisfação do conteúdo produzido. Ai sim, poderemos esperar ansiosamente os encontros seguintes.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Bahia 2012

Cheguei ontem a Salvador. PAssei a noite em claro por conta do meu voo (saiu de Natal às 4h25) e ao invés de eu dormir, cheguei ao Hostel e fui dar uma volta pela cidade.

Pelourinho,Mercado, Elevador,Forte, Cristo... Mas ainda conheci pouco.

Vim a Salvador para o 3° Encontro Nacional de Blogueiros, realizado pelo Centro de Estudos de Mídias Independentes Barão de Itararé. Confira a programação e lembro que a mesa 5 de sábado,com Tiago Aguiar e Adriana Amorim como responsáveis eu estarei na mesa também.

Programação final do III BlogProg

25 de maio, sexta-feira

15 horas – Reunião da comissão nacional organizadora;

17 horas – Início do credenciamento

18 horas – Abertura do III BlogProg e ato político em defesa da blogosfera e da liberdade de expressão;

19 horas – Debate: Nas redes e nas ruas pela democratização da comunicação

- Franklin Martins – ex-ministro da Secretaria de Comunicação do governo Lula;

- Emiliano José – Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão e Direito à Comunicação (Frentecom);

- Rosane Bertotti – coordenadora do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC);

- Robinson Almeida – secretário de Comunicação Social do Governo da Bahia;

- Barbara Lopes – Blogueiras feministas;



26 de maio, sábado

9 horas – Em defesa da blogosfera e da liberdade expressão: – Paulo Henrique Amorim (SP); – Lucio Flavio Pinto (PA); – Emílio Gusmão (BA); – Esmael Moraes (PR); 11 horas – Mídia e blogosfera: experiências internacionais: – Ignácio Ramonet (Le Monde Diplomatique – França); – Andres Thomas Conteris (Democracy Now e Ocuppy Wall Street – EUA); – Osvaldo Leon (Agência Latinoamericana de Informação – Equador); – Iroel Sanchez (Blog La Pupila Insomne – Cuba);

14h30 – Mesas autogestionadas simultâneas

1- A batalha pelo marco civil da internet (responsável: Renata Mielli) – João Arruda (deputado federal do PMDB/PR e presidente da comissão que analisa o projeto); – Jandira Feghali (deputada federal do PCdoB/RJ e integrante da comissão) – Sérgio Amadeu (integrante do Comitê Gestor da Internet); – Renata Mielli (diretora do Centro de Estudos Barão de Itararé);

2- Estado laico, religião e diversidade na mídia (responsável: Daniel Dantas Lemos): – Pastor Marcos Dornel; – Jean Wyllys – deputado federal do PSOL/RJ;

- Pastor Marcos Monteiro;

3- Direito de resposta e o novo marco regulatório. (Responsável: Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação)

4- Cobertura política sem sexismo (responsável: blogueiras feministas);

- Bárbara Lopes;

- Marília Moschkovich;

- Maíra Kubik Mano;

- Tâmara Freire;

5- Liberdade de expressão e direitos humanos (responsável: Tiago Aguiar);

- Adriana Amorim;

- Marcelo Barreto;

- Tiago Aguiar

* Exibição do documentário “Gente de ferro e de flor”

16h30 – Mesas autogestionadas simultâneas

6- A mídia e as eleições na Venezuela (responsável: Igor Felippe): – João Pedro Stedile (coordenação do MST); – Maximilien Arvelaiz (embaixador da Venezuela no Brasil); – Fernando Moraes (Jornalista); – Eric Nepomuceno (Jornalista);

7- A viabilidade de um jornal diário (responsável: Sérgio Telles) – Paulo Salvador – Rede Brasil Atual; – Claudia de Abreu – (Sindipetro do Rio de Janeiro); – Vito Giannotti – Núcleo Piratininga de Comunicação;

- Paulo de Tarso (Federação dos Bancários do Espírito Santo);

8- Oficina prática de WordPress (responsável: Tatiane Pires);

9- Redes sociais e subjetividade (Responsável: Conselho Federal de Psicologia);

- Marilda Castelar (CPF);

- Roseli Goffman (CPF e FNDC).

10- Cinema autogestionado (responsável: Carlos Pronzato);

18 horas – Apresentação e debate sobre Associação de Apoio Jurídico à Blogosfera:

- Rodrigo Sérvulo e Rodrigo Vianna;

19 horas – Lançamento oficial do Blogoosfero –plataforma livre e segura para a blogosfera e redes sociais;

Responsáveis: Fundação Blogoosfero, Colivre, TIE-Brasil e Paraná Blogs;



27 de maio, domingo:

9 horas – Reuniões em grupo – troca de experiência, balanço da blogosfera e desafios futuros;

11 horas – Plenária final – aprovação da Carta de Salvador e eleição da nova comissão nacional;

14 horas – Primeira reunião da comissão nacional eleita.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Serra, que 'não conhecia' Paulo Preto, agora nega ter nomeado Hussein Aref

José Serra é sério candidato ao prêmio "Pinóquio de Ouro"
Helena Sthephanowitz, especial para a Rede Brasil Atual


Hussain Aref Saab, o diretor responsável pela aprovação de grandes e médias construções na capital paulista durante sete anos foi nomeado para a prefeitura por José Serra, em janeiro de 2007, como mostra o Diário Oficial da Cidade de São Paulo (DOM). A nomeação foi lembrada pela Folha de S.Paulo hoje (17).

De lá pra cá, Aref Saab adquiriu 106 imóveis – enquanto sua renda declarada é de R$ 20 mil mensais. O patrimônio do funcionário inclui 118 imóveis, dos quais 24 são vagas extras de garagens (o que faz a gente pensar que ele deve ter muitos veículos).

Ainda conforme o jornal, de 2005 até 2012, Saab, de 67 anos, o valor acumulado de suas posses ultrapassa R$ 50 milhões. Suspeito de participar de esquemas de corrupção e alvo de investigações, Aref Saab deixou o cargo no mês de abril desse ano

Mas Serra nunca sabe de nada.

Apesar do registro no DOM, candidato do PSDB à prefeitura paulistana nega ter nomeado Hussein Aref Saab para o cargo que lhe deu poderes para aprovar ou desaprovar empreendimentos imobiliários na cidade. E, obviamente, também criticou a veiculação do caso.

Em 2010, Serra também negou conhecer Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, x-diretor da estatal Dersa quando ele era governador. Paulo Preto, foi acusado por líderes do seu próprio partido de desviar pelo menos R$ 4 milhões arrecadados de forma ilegal para a campanha eleitoral de Serra candidato à presidência.

O tucano só lembrou que conhecia o ex-diretor da Dersa quando Paulo Preto, numa entrevista, mandou um recado muito claro: “Não se abandona um companheiro ferido na beira da estrada”

Dá para confiar na palavra de Serra?

terça-feira, 15 de maio de 2012

Mês de Maio registra aumento histórico do número de depósitos em poupança

Do site Minas sem Censura

Após a presidenta Dilma Roussef anunciar novas regras para a caderneta de poupanças, beneficiando principalmente o pequeno poupador, o Banco Central registrou um aumento de 223% no número de depósitos realizados nos primeiros oito dias do mês de maio, se comparados ao mesmo período de 2011. De acordo com matéria da Agência Brasil, se essa tendência se confirmar, o mês de maio terá a maior captação líquida (mais depósitos que retiradas) da história do Banco Central. Mais informações na reprodução abaixo:

Depósitos em poupança superam retiradas em R$ 4,1 bilhões em maio, até dia 9

15/05/2012 - 14h22

Kelly Oliveira
Repórter da Agência Brasil



Brasília - Os depósitos em caderneta de poupança superaram as retiradas em R$ 4,182 bilhões, neste mês, até o dia 9 de maio, segundo dados do Banco Central (BC) divulgados hoje (15). Nesse período, os depósitos chegaram a R$ 35,731 bilhões e as retiradas ficaram em R$ 31,548 bilhões.

Se essa tendência se confirmar, o mês de maio terá a maior captação líquida (mais depósitos que retiradas) da série histórica do BC. Até agora, o maior registro para meses de maio foi em 2010, quando a captação líquida ficou em R$ 2,120 bilhões. Em abril deste ano, o resultado positivo foi R$ 1,977 bilhão.

A aplicação de recursos na poupança ocorre mesmo depois de o governo anunciar mudanças nas regras de remuneração. A Medida Provisória 567, válida desde o dia 4, estabeleceu que sempre quando a taxa básica de juros, a Selic, estiver menor ou igual a 8,5% ao ano, a forma de remuneração muda. Nesse caso, os depósitos serão corrigidos por 70% da taxa Selic mais a Taxa Referencial (TR). Atualmente, a Selic está em 9% ao ano. Portanto, continua a regra de remuneração de TR mais 0,5% ao mês.

O Banco do Brasil (BB) anunciou hoje (15) que, após o anúncio das novas regras, a captação líquida cresceu. Nos oito primeiros dias úteis no mês, o banco registrou 223% de aumento se comparado ao mesmo período do mês de abril deste ano. De acordo com o banco, a participação do BB na captação líquida do mercado também registrou crescimento após a alteração nas regras da poupança, passando de 12,4% no dia 4 de maio para 36,9% no dia 8.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Sete mentiras da revista Veja


Do sítio da União da Juventude Socialista (UJS):

Em nossa cultura cada número tem um significado, são ditos populares que expressam características de uma pessoa ou uma superstição. No caso da revista veja o número 7 – número do mentiroso – é o que melhor lhe cabe.


O portal da UJS levantou sete casos em que a revista Veja inventou fatos e forjou provas, sempre com o intuito de prejudicar algum desafeto, mas, jamais com intuito de fazer aquilo que o bom jornalismo prega, investigar, informar e garantir o direito ao contraditório em suas matérias.

1. "Escola dos Horrores"

Em 1994 Veja publica matéria em que acusa donos de uma escola no bairro da Aclimação de praticar abusos sexuais contra crianças, o caso ficou famoso em todo o país, a escola foi depredada e fechada, algum tempo depois se provou que as acusações feitas pela revista eram infundadas, o Estado foi obrigado a pagar uma indenização, mas, a imprensa fez-se de desentendida e nem se quer uma autocrítica publicou;

2. “Tentáculos das Farc no Brasil”

Em março de 2005 a matéria de Veja tenta provar suposta relação do movimento guerrilheiro colombiano com o comando da campanha do ex-presidente Lula e vai além, a revista afirma ter acessos a documentos secretos – desta maneira não apresenta nenhuma prova, pois, são documentos “secretos” – de que as Farc teriam feito uma doação de cinco milhões de dólares para a campanha presidencial de Lula. O ministério público fez investigação e nada foi provado. Como é de costume da revista, esta matéria seria mais uma tentativa de prejudicar o então candidato Lula, desafeto de longa data de Roberto Civita, dono da revista;

3. “Os dólares de Cuba para a campanha de Lula”
Esta matéria foi publicada em 2005 durante a campanha presidencial. Sem nenhuma prova concreta ou algo que valha Veja afirma com todas as letras: “Entre agosto e setembro de 2002, o comitê eleitoral de Lula recebeu 3 milhões de dólares vindos de Cuba. Ao chegar a Brasília, por meios que VEJA não conseguiu identificar”. Sempre de maneira dissimulada, sem apresentar nenhuma prova e mesmo admitindo não saber de todos os fatos, publica-se matéria de capa com acusações estapafúrdias que até hoje não foram comprovadas;

4. “Parece Milagre”
Em setembro de 2011 veja publica matéria de sete páginas (o número da mentira) para falar de um remédio para emagrecimento, na matéria a revista faz elogios ao remédio e cita o nome do emagrecedor como que fazendo uma propaganda do produto, entretanto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) havia limitado o uso do remédio, a agência diz expressamente em um dos seus relatórios que “o uso do produto... caracteriza elevado risco sanitário para a saúde da população”. De maneira irresponsável Veja colocou em risco a vida de seus leitores com o objetivo único de se beneficiar;

5. "José Dirceu mostra que ainda manda em Brasília"
Em agosto de 2011 Veja publica matéria conseguida de maneira pitoresca, tentando provar que o ex-ministro José Dirceu ainda tem poderes no governo e no Partido dos Trabalhadores – que até então nada tem de ilegal –. Um jornalista invade o hotel onde o ex-ministro se hospedara e fazia reuniões com correligionários, na invasão o jornalista tenta violar o quarto do ex-ministro no intuito de forjar provas, não tendo sucesso o mesmo roubou imagens do circuito interno de TV do hotel. O responsável pela segurança do hotel registrou ocorrência em uma delegacia de Brasília e até hoje nada foi feito para que se punisse a atitude criminosa da revista e de seu jornalista;

6. “Militante do PCdoB acusa Orlando Silva de montar esquema de corrupção”
Na reportagem de quinze de outubro de 2011 Veja acusa o ex-ministro dos esportes Orlando Silva de montar um grande esquema de corrupção. A revista utiliza como fonte um policial militar do distrito federal que dirigia uma ONG e havia sido condenado pelo ministério e pelo Tribunal de Contas da União a devolver recursos ao próprio ministério dos esportes por falta de prestação de contas. A tal fonte não podia mesmo ser de todo confiável, pois, estava em litígio com o ministério dos esportes e apresentava patrimônio muito acima de seus rendimentos. O Policial João Dias com ajuda da revista Veja afirmou que o ministro recebera dinheiro na garagem do ministério e que tinha provas, entretanto, as provas nunca foram apresentadas, o policial encontra-se preso e a revista fez-se de desentendia;

7. “Só nos sobrou o Supremo”
Em oito de junho de 2011 veja entrevista o senador Demóstenes Torres e o apresenta como um parlamentar combativo e honesto. A entrevista revelou-se recentemente como uma manobra de Veja para ajudar o senador em sua empreitada de estabelecer uma boa imagem de sua figura como um dos últimos homens honestos no senado federal. Recentemente a prisão do contraventor Carlinhos Cachoeira mostrou uma relação íntima do senador com o bicheiro, jogando por terra a imagem de homem probo, entretanto, gravações da Polícia Federal revelaram que a revista Veja também tinha relações íntimas com o bicheiro e sabia das relações do próprio parlamentar com o bando criminoso de Carlinhos Cachoeira. Ora se a revista sabia da relação do parlamentar com um grupo criminoso e, também se relacionava com os contraventores como pode levar seus leitores ao engano produzindo uma entrevista que ajudava um criminoso a se beneficiar eleitoralmente? São questões que precisam ser esclarecidas.

Ato para exigir #CivitanaCPI

Nesta terça-feira dia, oito de maio, a União da Juventude Socialista realizará um ato político na porta da Editora Abril para denunciar os crimes cometidos pela revista Veja e seu proprietário, o empresário Roberto Civita.

O ato ocorrerá as 15h00 na Rua Sumidouro 747 no Bairro de Pinheiros, onde fica a sede da Editora Abril. Ao mesmo tempo será realizado um tuitaço com a hashtag #CivitanaCPI, para mobilizar também as redes sociais a denunciar as práticas criminosas da revista.

Merval se associa à Veja. Cuidado!


Por Altamiro Borges

A cada dia fica mais evidente que a revista Veja se associou ao crime organizado. As ligações entre o editor da publicação, Policarpo Jr., e o mafioso Carlinhos Cachoeira – e não apenas as telefônicas, mais de 200 – podem até resultar na convocação dos “capos” do Grupo Abril para depor na CPI. E há boatos de que novas revelações bombásticas devem pintar nos próximos dias.


Mesmo assim, o restante da mídia evita expor a concorrente de mercado e faz de tudo para blindar a Veja. Parece um pacto de mafiosos. Hoje foi o dia de Merval Pereira, o “imortal” – ou será imoral –, sair em defesa da famiglia Civita. Em artigo no jornal O Globo, ele jurou que a revista é inocente, é uma santa. Cuidado! Cumplicidade com o crime organizado também dá processo!

A falsa liberdade de expressão

Maroto, Merval Pereira tenta se apropriar a bandeira da liberdade de expressão para defender o império em apuros. Ele confunde, de propósito, liberdade de expressão com liberdade dos monopólios, inclusive dos criminosos. Para ele, está em curso uma ofensiva na América Latina para cercear a “imprensa”. Argentina, Venezuela e Equador seriam os casos mais graves.

Mas o Brasil, afirma o “imortal”, não está imune e a famiglia Civita é o alvo da vez. Como cúmplice da vítima, ele garante: “Ainda enfrentamos ameaça à liberdade de expressão, que se configura de diversas maneiras. No momento, ela se revela na tentativa, frustrada de início, de levar a grande imprensa representada pela revista “Veja” à investigação na CPI do Cachoeira”. Pobre "grande imprensa"!

Segurança ou medo?

Merval jura que “os documentos surgidos até o momento nada revelam de transgressor no comportamento de seus profissionais, e todas as pseudoacusações se baseiam mais em ilações tiradas de versões do bicheiro e de seus asseclas do que em fatos comprovados”. Apesar desta aparente segurança, o colunista do jornal O Globo está com medo – lembra até da Regina Duarte.

Marcha da Maconha em Córdoba(ARG). Exemplo de civilidade


No último sábado, 5 de Maio, muitas cidades do mundo fizeram a “Marcha da Maconha”, pedindo a tolerância aos usuários e mudanças na legislação, cada qual em seu país, para não tratar como criminoso aquele usuário da droga.

Em Córdoba  na Argentina, a marcha foi extremamente tranquila. Seria esse um exemplo para o Brasil, onde em muitas cidades, como São Paulo, não é possível fazer uma manifestação sem que a polícia chegue com truculência. Participaram, segundo a organização, seis mil pessoas.

Nico Davilla


O Web Desinger Nicolas Dávila, que tive o prazer de conhecer em um bar na cidade de Foz do Iguaçu, me mandou algumas fotos e falou bastante sobre a marcha.

``Cheguei às 15h na manifestação, que havia sido marcada para iniciar ao meio dia. Foi tudo muito tranquilo, com crianças, teatros e gritos de que o usuário não é um criminoso. Nosso pedido foi para que entendam que com o álcool liberado, perde o sentido proibir o uso da maconha``.

A manifestação foi de frente a sede do governo de Córdoba. Segundo Nicolas, os protestos foram extremamente pacíficos, deixando o lado cultural mais destacado. ``Estávamos de frente a sede do governo, com muita policia perto, porem ninguém sofreu com nada, foi preso ou abordado, estávamos no direito de nos manifestar contra uma lei que não concordamos. Tinham grupos teatrais, musicais, e o máximo que poderíamos ver eram cartazes e dizeres sobre Auto Cultivo e sobre o uso medicinal da maconha``.

Cartazes com os dizeres``Hasta la victoria SIEMBREN`` varriam a manifestação. SIEBREM remete ao cultivo particular, plantar a própria semente. Luta que muitos ativistas, inclusive no Brasil, lutam.

No Brasil já não podemos comemorar. Em São Paulo, no ano passado a Marcha foi marcada pela truculência da PM da capital. Sem motivo algum, já comprovados por imagens, a PM chegou com bombas de gás, spray de pimenta e bala de borracha. Já no dia 05, no Rio de Janeiro, pela primeira vez a Marcha foi marcada pela censura da PM.

Pacifica por natureza (isso são os fatos quem dizem, basta ver sobre a manifestação em todos os jornais), a manifestação perdeu seu brilho por conta de atitudes de militares que, ao invés de manter a ordem, transformaram a marcha em um massacre.

Quem sabe o Brasil possa aprender com a Argentina e assim ter manifestações sem a violência policial. A policia, que tem ordens e hierarquia desde a ditadura militar, ainda acredita que com violência se faz a ordem. 

Quem sabe possamos aprender algo com os hermanos. 

Confira algumas fotos da Marcha, retiradas do perfil do Facebook de Thiago Pinheiro








segunda-feira, 7 de maio de 2012

Com uma oposição assim, quem precisa de humorista?

Eu já havia falado. A oposição necessita de Danilo Gentilli, Rafinha Bastos e todos esses da nova safra de "humoristas" que utilizam da ignorancia para fazer os outros cairem no riso.Em seu DVD, "Politicamente Incorreto", gentilli ataca com ofensas os desafetos... da BAND. Sim, ofender, chamando Lula de bêbado(poucos risos na plateia), Collor de drogado(dá pra escutar nitidamente uma tossida nessa hora) dentre outras.

 Mas ainda bem que a parte inteligente não precisa.

Não precisa porque primeiro, tem José Serra. Com um ser como esse disputando algum cargo, risadas são garantidas. Primeiro é bolinha de papel para fazer tomografia, depois a tal aula de matemática para crianças, e ainda me vem com aquela dos Estados Unidos do Brasil.

Agora foi Roberto Freire, presidente do PPS, que andou fumando um cigarrinho com a Soninha e seu ídolo master, FHC. Veja a imagem retirada de seu twitter,antes do mesmo senhor me bloquear:



Lindo não?

Tudo bem, muitos já cairam nas matérias do G17, Sensacionalistas ou o Diário de Barrelas, porém como a direita adora falar, são pessoas cultas, que lêem Folha,Veja, Estadão, e caem na piada m ais manjada da internet.

Com uma oposição assim, o PT só perde os cargos para ele mesmo,afinal não existe união entre a direita, não existe discurso casado, apenas um monte de bla, bla, bla sem nexo. E pessoas alteradas usando suas contas.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

O resultado do choque de gestão em Minas Gerais

Recentemente, o Sind-UTE MG apresentou à sociedade mineira um dossiê da educação básica pública estadual. De acordo com levantamento feito pela entidade, o Estado de Minas Gerais apresenta sérios problemas relacionados a qualidade e investimento em educação e a valorização dos profissionais da educação. Acompanhe alguns dados do dossiê:

- De acordo com o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), apenas 30,7% dos estudantes da rede estadual encontram-se num estágio recomendável em leitura, 18,8% em nível recomendável em matemática e 25% em nível recomendável em ciências.
 - Apenas 35% das crianças mineiras até cinco anos frequentam estabelecimentos de ensino.

- Das escolas de ensino fundamental da rede estadual, 76%não possuem laboratório de ciências, 55% não possuem quadra de esporte e 11% não possuem biblioteca.

- A escolaridade média da população adulta mineira é de 6,9 anos. De acordo com o Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado, 93,4% das crianças de 6 a 14 anos estão na escola, mas apenas 68% dos adolescentes de 16 anos conseguem concluí-lo e somente 48,5% dos jovens de 19 anos também.

- Nos últimos 6 anos, houve uma redução de matrículas no ensino médio de 14,18%. O passivo de atendimento acumulado no Ensino Médio Regular, entre 2003 e 2011, seria de 9,2 milhões de atendimento. Isso quer dizer que nem todos os adolescentes tiveram o direito garantido de estudar.

- O Estado de Minas Gerais, quando comparado à média nacional, tem a pior colocação em qualidade da escola de Ensino Médio: 96% das escolas não têm sala de leitura, 49% não têm quadra de esportes e 64% não têm laboratório de ciências.

- Contrariando a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9.394/96) a Resolução 449/2002 do Conselho Estadual de Educação e o Estatuto da Criança e Adolescente, a Secretaria de Estado orientou para 2012 a organização de turmas multisseriadas.
- De acordo com o Educacenso, no triênio 2009/2011 houve uma redução de matrículas de 8,32% na escola de tempo integral. Analisando apenas os anos finais do ensino fundamental, a quede foi de 14,4%.

- O Governo de Minas, através da Lei Estadual 19.837/11 congelou a carreira dos profissionais da educação até 2015.

- De acordo com a Resolução 2.018/12 profissionais são obrigados a assumir aulas de disciplinas sem ter a formação correspondente. Há professores sendo obrigados a assumir a regência de até 8 disciplinas diferentes.

- Os profissionais da educação vivenciam constantes situações de violência no ambiente escolar sem qualquer política preventiva, não têm a garantia de 1/3 da sua jornada dedicada a estudo, planejamento e avaliação conforme definido pela lei federal 11.738/08. Os projetos são desenvolvidos sem qualquer interlocução com o profissional da educação, tempo do professor é definido sem a sua participação, o currículo da escola é estabelecido por quem não está na escola, não há um referencial político pedagógico.

Estes problemas resultam de uma política de gestão, com a diminuição do investimento de recursos públicos no sistema educacional mineiro. Por tudo isso causa indignação e vergonha que, diante da situação da educação pública mineira, o Tribunal de Contas de Minas Gerais assine um Termo de Ajustamento de Gestão pactuando com o Governo do Estado de Minas Gerais a possibilidade de, nos próximos dois anos, não investir o mínimo de 25% em educação. A assinatura deste acordo isenta o Estado de sofrer qualquer penalidade por descumprir a Constituição Federal.

Mas a situação mineira é ainda mais vergonhosa: o estado não cumpre o investimento mínimo de 25% previsto na Constituição Federal há anos. O Tribunal de Contas e Ministério Público Estadual sabem desta prática.

A estimativa de impacto deste Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) no financiamento da Educação Básica Pública de Minas Gerais nos próximos dois anos é de cerca de 820 milhões de reais.
Analisando a prática do Governo mineiro, é possível identificar que o investimento realserá ainda menor do que o divulgado, se consideramos que nos percentuais acordados de 22,82% para 2012 e 23,91% para 2013 estão incluídas despesas previdenciárias. Isso significa que parte do que o governo anuncia como investimento em educação não será destinadoa esta função. Em 2008 39,3% dos recursos da educação foram para fins previdenciários, em 2009 39,2%, em 2010 foram 38,4% e em 2011 foram 41,8%.

De acordo com a Resolução 01 do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais  (TCEMG) qualquer órgão ou Poder pode assinar um TAG. Isso abre a possibilidade para que municípios também deixem de investir o mínimo previsto constitucionalmente, com o amparo do TCE MG. Também é possível que o TAG assinado entre o Governo do Estado seja prorrogado para além de 2014.

De acordo com relatório técnico do TCE, em 2008 foram R$ 2.434.843.581,44 de despesas computadas para a educação, mas na verdade foram para outros fins. Não poderiam ser computadas nos 25%, mas foram incluídos.

O mesmo parecer apurou que a participação das despesas com educação em relação às despesas fiscais do Estado passou de 19,36%, no exercício de 2003 para 12,54% em 2008.

Em 2009, ainda de acordo com relatório técnico do Tribunal de contas, o Estado declarou gastos com FHEMIG, na função saúde no montante de R$8.367.594,30, com aSecretaria de Cultura e Secretaria de Esportes e da juventude o valor de R$5.464.907,13e despesas com Previdência Social no total de R$1.724.442.480,57 como se fossem com a Educação. O próprio TCE, em seu relatório aponta que “expurgando-se os valores mencionados, o Estado se torna inadimplente com a área da educação, despendendo 20,15%  dos seus recursos nessa área, abaixo, portanto, do mínimo constitucional determinado para os Estados.”

Em 2010, 38,42% (o que corresponde a R$2.743.181.227,74) do total de recursos que deveriam ser destinados à educação foram para despesas classificadas como outras, o que significa que não foi investido em nenhum nível da educação básica. Ainda, despesas com a cultura (valor de R$5.715.535,87), Desporto e Lazer: (valor de R$2.049.547,61), publicação dos atos do setor de educação na imprensa oficial: (no valor de R$2.415.332,00) e Previdência Social: (no valor de R$ 1.957.975.561,28) foram incluídos para que o Estado cumprisse o mínimo de 25%.

A participação das despesas com educação em relação às despesas totais do Estado sofreu diminuição, passando de 12,49% no exercício de 2006 para 11,58% em 2010.
Este é o choque de gestão de Minas Gerais. Agora, o Estado sequer tem o dever de cumprir a Constituição Federal e com a conivência de órgãos que deveriam fiscalizá-lo.

Beatriz da Silva Cerqueira
Professora e coordenadora geral do Sind-UTE MG


Contador Grátis