segunda-feira, 23 de julho de 2012

Os músicos do Brasil estão chorando demais

Pelo Facebook, vejo muitos comentários todos os dias, dos mais diversos. Tem a evangélica que quer demonstrar seu amor por Cristo. Tem o Ateu que quer demonstrar o quanto é racional - mesmo sendo o mesmo que ele critica,ou seja radical -, tem os partidários(como eu), tem os contra partidários e diversas pessoas que só compartilham algo, nada além disso.

Mas vejo também a onda dos músicos. Vejo muitos músicos mostrando seu trabalho, mas boa parte só reclama que o Brasil não tem espaço.E chora.

São esses mesmos chorões que só sabem reclamar, e não sabem trabalhar em prol da música. Complicou? Ok, titio explica.

Dia desses vi uma pessoa reclamando que é difícil viver de música no Brasil.

Cê Jura é? Então quer dizer que viver como jornalista, engenheiro, telemarketing, vendedor é fácil né? Bom, claro que não. Mas veremos o restante. 


A mesma pessoa que reclama, quando perguntei sobre o próprio som, falou que não tinha, que ainda estava em processo de composição. 


AAAAAAAAAAaaaaaaaaaaaaaaaaaa tá, então tá. Claro, qualquer um com o QI acima de uma ameba sabe que pra para ser jornalista precisa saber escrever, para ser engenheiro precisa saber matemática e, incrivelmente, para ser músico precisa fazer...vamos lá...música.


Vejo dois amigos meus, que agora cito nome, Endell e Erik Magalhães. Eu fui roadie da banda deles, Lados opostos, por dois anos. Eles sempre batalharam, sempre colocaram a cara a tapa no meio musical e nunca ficaram choramingando. Ao invés de reclamar, eles trabalham. E para viver de música, amigos leitores, trabalha-se muito mais que um engravatado de escritório. Eles hoje têm uma escola de música e não ficam reclamando. Reclama,claro, do mercado que a mídia coloca no meio musical,mas isso é fora dos poderes deles. O que eles podem fazer,fazem. 


Vejo o exemplo de um amigo meu, o produtor Paulo Anhaia. O cara fez curso,se especializou em produção musical. ele vive disso e hoje é um dos mais respeitados produtores do Brasil. Ele ficou reclamando? Não, ele correu atrás. Ele se reciclou, se atirou de cabeça com muita dedicação e estudo. Foi pelo lado musical de outra forma. Eu o conheci como baixista da banda MonsteR, e depois fui descobrir sua trajetória com produtor(não ficarei fazendo propaganda, faça uma breve pesquisa no Google que vão encontrar Anhaia). Hoje, os Workshop de Anhaia são disputados a tapa, com um número altíssimo de pessoas procurando aprender com o grande MonstrO(perdoe-me pelo trocadilho)


Ainda digo mais. Anderson Carlos, meu "irmão"- como todos diziam- no tempo de Holy Sagga(ou apenas Sagga para quem acompanhou desde o início). Ele foi para o lado de agendamento de shows, imprensa, assessoria. Tudo isso envolvido no meio musical. Agora eu digo,ele ficou chorando ou trabalhou para isso? A resposta é meio óbvia não é?


Portanto , músicos e aspirantes do meu Brasil,parem de reclamar. Quem realmente faz música boa não precisa de mídia. Vide Velhas Virgens, que até hoje é uma banda independente , são 30 anos de estradas e nunca ficaram chorando, sempre trabalhando para isso. Vão trabalhar um pouco, fazer seu trabalho e sair divulgando. Ora, cedo ou tarde, o retorno virá. E sucesso não quer dizer vender um milhão de Cd´s. Sucesso é ter seu trabalho reconhecido e admirado por todos. 


Viver de música, só pra quem faz música. Fica a dica. 



5 comentários:

Lados Opostos disse...

Obrigado pela citação, perfeito seu texto!

Grande abraço amigo!

sucesso!

Priscila Pedrin disse...

Isso é! Tem que ter ação. Muitos ficam reclamando e falando que os outros têm sorte, pois não sabem o quanto batalharão para obter resultados, que chamam de sorte foi apenas consequência de determinação trabalho de grande esforço. A caminhada dos vitoriosos não é fraca, cada ganho é mérito de atitudes e não de lamentações.

Paulo Henrique disse...

"para ser jornalista precisa saber escrever, para ser engenheiro precisa saber matemática e, incrivelmente, para ser músico precisa fazer...vamos lá...música."

E os Ramones? Toda regra tem uma exeção.

O resto do texto achei interessante.

http://www.youtube.com/watch?v=KeoGWrA4O1Q

Eu vejo, aprendo e sou capaz! disse...

Exato!
Olhando por outro lado, eu vejo diversas pessoas (ouvintes) reclamando que não tem mais músicas boas para ouvir atualmente.
O que me faz perceber a preguiça alheia, quando se trata de ir atrás de coisas novas.
Existem dezenas de bandas boas, ótimos músicos, ótimas letras, e algumas eu faço questão de mencionar: Forfun, ETNO, Dias de Truta, Scracho, Scambo, Vera Loca, enfim... Todas trabalhando muito e vivendo de música!
Mas algumas pessoas não conhecem pelo simples motivo de nunca ter ouvido na rádio ou nunca ter visto na televisão.
Gente, não foi a música que perdeu sua qualidade, e sim a mídia que não tem mais interesse em artistas com talento de verdade.
Basta uma boa pesquisa nesse universo livre que é a internet, que encontramos diversos sons ótimos, de diferentes "gêneros", feito por gente muito competente e trabalhadora.

Quarto Poder SP disse...

Paulo Henrique, ai é questão de gosto. Tanto é que até hoje Ramones são lembrados. Os caras revolucionaram.


Contador Grátis