quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Compare



Clique na imagem para aumentar o tamanho.

Tucanos,cuidado, ai vai mostrar que o FHC não é o rei.

Tucanos, em Higienópolis não tem mais Gardenal  depois que o Serra caiu nas pesquisas e está em terceiro. Procurem em outro bairro.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Brasil tem a menor desigualdade social da história


O presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)Marcelo Neri, declarou o que não é novidade para nós que acompanhamos o governo fora da grande imprensa. O Brasil está se igualando socialmente, e isso é reflexo do trabalho PTista.

Sim, os reaças vão falar que o Lula e Dilma fizeram continuação do governo Fernando Henrique Cardoso, mas segundo o Ipea, a queda na desigualdade social por dez anos seguidos é um fato inédito no Brasil.

“A queda da desigualdade aconteceu durante dez anos consecutivos, sem interrupção, o que é algo inédito”, disse. “De junho de 2011 a junho de 2012, a desigualdade está caindo tanto quanto estava caindo antes, ou seja, não está desacelerando. Nos últimos 12 meses terminados em junho de 2012 a desigualdade caiu 3,2%, que é uma média muito forte.”

Segundo o instituto, em todos os países do Brics(Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) a desigualdade está crescendo, mas só  o Brasil conseguiu ir além do esperado. “A meta era diminuir a pobreza pela metade em 25 anos, o Brasil conseguiu isso em menos de dez”.

O crescimento dos salários é o principal indicador para a melhoria, aponta o estudo intitulado "A Década Inclusiva". É o que responde por 58% da diminuição da desigualdade. Em segundo lugar vem os rendimentos previdenciários, com 19% de contribuição, seguido pelo Bolsa Família, com 13%. Os 10% restantes são benefícios de prestação continuada e outras rendas.

Ou seja, isso significa que , enquanto as pessoas chamam de assistencialismo, bolsa esmola e um monte de coisa sobre o programa Bolsa Família, o governo Lula conseguiu provar que isso diminui a desigualdade, e dá uma vida mais digna as pessoas do Brasil.

Como diria o maior de todos, nunca antes da história deste país tivemos uma diminuição tão significativa da desigualdade. E isso é com trabalho sério.

Aos reaças, verifiquem como na época do FHC a desigualdade cresceu no Brasil. E crescer nas costas dos pobres não é crescer, é escravizar. 


quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Aconteceu na Islândia



Para quem acredita que a revolução contra a economia é apenas algo passageiro

A cobertura das eleições e o direito a informação


Estamos vivendo uma época conturbada na questão do direito a informação no Brasil. Fomos reféns, durante boas décadas, de uma mídia que trabalhava favoravelmente a ditadura militar. Não ficarei aqui citando nomes, mas qualquer pessoa que se informe além da mídia tradicional sabe muito bem do que estou citando agora.

A constituição garante o acesso à informação. O problema é que no Brasil, a mídia acostumou-se em ser a única fonte da mesma. E agora a internet incomoda. Incomoda pelo simples fato de que as pessoas já não dão mais moral para o que a imprensa diz. Mas isso, ao contrário que pensam os grandes diretores, não é culpa da internet. É culpa da própria mídia. Mas quem trabalha com a informação precisa se preocupar.
Com esse incômodo, a mídia resolveu apelar para outro lado. Sempre aliado aos grandes caciques da direita, ela tenta fazer e desmanchar imagens já desgastadas, e atacam o bolso e a honra de quem se opõe a ela.

No Paraná, tivemos o caso do Blog do Tarso, gerenciado por Tarso Cabral Violin, em que uma simples enquete o rendeu uma multa de R$106 mil reais. Claro, ele só levou essa multa porque quem entrou com a ação contra ele tem uma influência muito forte do judiciário. Prefeitos e vereadores levam multa de R$5 mil( mesmo dispondo de milhões em caixa de campanha) enquanto um blogueiro leva uma multa de três dígitos. Mas antes fosse apenas o bolso.

Resumirei aqui um caso de absoluto desrespeito com quem trabalha com a informação. Na capital mineira, Belo Horizonte, o atual prefeito Márcio Lacerda, candidato a reeleição, tem aprontado as suas. Apadrinhado por Aécio Neves, Lacerda deita e goza com os benefícios de ter um padrinho forte que domina a informação mineira. Com trânsito livre no jornal Estado de Minas(onde Andrea Neves, irmã de Aécio, é praticamente a diretora de conteúdo), as informações dadas aos mineiras sofrem uma grande...distorção, digamos assim.

No último dia 10 de setembro, a equipe do portal Minas Livre recebeu uma ligação informando que havia um tumulto na porta de um dos comitês de Márcio Lacerda. O tumulto era pelo não pagamento de panfleteiros e bandereiros da campanha (os que trabalham nas ruas debaixo de sol para ganhar pouquíssimo). Os trabalhadores estavam exigindo o pagamento dos dias trabalhados, e iniciou um pequeno tumulto.

A equipe foi até a porta do comitê para poder cobrir a manifestação. Júlio César Silva, diretor do portal, conta que logo ao chegar, foram avisados que não poderiam fazer imagens, mesmo estando na rua, um local público. Então, sob ameaças e intimidações, as pessoas começaram a entrar para receber, enquanto a equipe fazia seu trabalho na porta, tendo a cooperação de muitos dos trabalhadores. Nisso, cercados por seguranças, o editor levou uma gravata e a cinegrafista teve sua câmera roubada pelos seguranças.

Após tomarem a câmera, os seguranças entraram no comitê. Apenas com a chegada da polícia é que os comunicadores puderam entrar para tentar recuperar a câmera, roubada por um dos seguranças da equipe de Márcio Lacerda. “A polícia demorou demais pra chegar, mais de uma hora. As próprias pessoas que estavam lá, protestando pelo não pagamento, estavam nos ajudando a identificar os agressores. Teve um momento que eles sumiram lá dentro, e tive que entrar nas salas. As pessoas lá fora entregaram um segurança também, dizendo que entrou numa sala pra trocar de camiseta e assim não ser identificado”, conta Júlio.

Segundo Júlio, a agressão não foi o principal problema na situação. “Agressão, sei lá, o corpo melhora, mas o problema foi o roubo da câmera, um instrumento de trabalho que estava lá para registrar os fatos. É uma agressão não ao jornalista Júlio, mas é uma agressão a uma sociedade em si”.

O que mais impressiona é que, segundo relato do diretor do portal Minas Livre, nenhuma imprensa foi lá para cobrir. Apenas um jornal deu uma pequena nota falando do ocorrido, porém ponderando no ataque a liberdade de imprensa. Mas nós sabemos que, se fosse no comitê do Patrus Ananias (candidato do PT em Belo Horizonte)e o agredido fosse alguém do jornal O Estado de Minas, além de capa, seria motivo para quererem impugnar a candidatura do Ptista.

Nós, que trabalhamos com a informação alternativa, estamos em uma sinuca. Não temos apoio de segurança( que está junto aos governantes), não temos apoio judicial, e podem acreditar, não temos apoio de governo algum, mesmo muitos dizendo o contrário.

Hoje a informação verdadeira está na berlinda. As pessoas dizem que a imprensa é mentirosa, mas as mesmas pessoas ecoam o que a imprensa publica. Manipulações e noticias tendenciosas, só porque a linha editorial é partidária, deixa quem não tem acesso à internet com a mente poluída com as besteiras pela imprensa publicada.

Nessas eleições,estamos tendo as maiores provas de que os políticos das alas mais tradicionais ainda estão com a imprensa ao seu lado.E eles utilizam a mesma para atacar quem não concorda com seus pensamentos. E atacar, para quem trabalha com a mídia alternativa, é o simples fato de mexer com o bolso das pessoas, afinal não são empresas, são pessoas físicas, onde a receita é fruto de trabalho paralelo a essa função de informar por uma outra visão.


Tivemos um grande exemplo disso em São Paulo e Minas Gerais, onde o PSDB da campanha de José Serra tentou censurar os blogs que não falavam favoravelmente ao candidato tucano. Em Contagem, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte, o candidato Ademir Lucas, também do PSDB, entrou na justiça(e ganhou) direito de resposta de um cyberativista por conta de “propaganda negativa”. Se fosse positiva ele nunca ria reclamar,não é?

No encontro Nacional de blogueiros, que ocorreu em Salvador em Maio deste ano, Paulo Henrique Amorim citou algo que devemos refletir e muito bem, em especial nessas eleições sobre a liberdade de informação. “Nada além da constituição queremos. Nada além.”


segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Veja consegue piorar sua imagem



Depois do grampo sem áudio, a Veja inovou...não, eu diria REVOLUCIONOU a maneira de fazer jornalismo. Agora ela vem com a novidade da entrevista sem entrevistado. Agora, ela conseguiu demonstrar que é uma revista apenas para direititas ignorantes ecoarem o que saem nas páginas.

Com a “bombástica” entrevista de Marcos Valério, a Veja admite que baseou-se em declarações de terceiros para produzir a capa. Logo que ficou sabendo da capa, Valério através da sua equipe de assessoria, desmentiu a tal entrevista a Veja. “Marcos Valério não dá entrevista a mídia desde 2005”, afirmou em nota oficial.

O desespero da Veja é grande. Desde o início do golpe do Mensalão, ela tenta de qualquer maneira envolver o nome de Lula, mas nunca consegue. E isso deve deixar a Abril triste, pois ela, acostumada a manipular todos, viu que de 2000 pra cá perdeu a credibilidade, e tenta de todas as maneiras destruir o governo PTista, joga baixo e sujo.

Jogando baixo e sujo porque, depois da prisão de Cachoeira, a revista não consegue nenhuma matéria “bombástica” para produzir para seus leitores. O envolvimento de Policarpo Jr, diretor de redação da revista, não foi declarado nem uma linha. Omissão de informação. Mas o que a tal revista (da) marginal faz é um jornalixo, colocando em dúvida a sanidade mental dos leitores da Abril.

Depois do grampo sem áudio, a ficha falsa de Dilma, a tentativa de invasão ao quarto de José Dirceu( e na capa,especulações sobre o que ele estava fazendo ali,tudo sem uma única prova), a entrevista sem entrevistado ganha de goleada dos maiores lixos produzidos pela imprensa brasileira.

Essa “denúncia” e Veja contra Lula nada mais é do que tática eleitoral. Eles viram que Serra está cada vez mais afundado nas pesquisas, vendo Lula voltando aos palanques e tendo de volta a força que sempre teve e, claro, a sua influência no eleitorado mais humilde.

Agora ficamos em dúvida qual será a próxima tentativa de golpe. Afinal,já foram omissos no caso Cachoeira, no caso de Demóstenes Torres, cassado por corrupção ativa, tentaram defender como paladino da ética. Agora cabe o leitor saber filtrar o que lê. Porque leitor da Veja,hoje, está tão pra baixo quanto o Palmeiras. 

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Serra descendo à serra

Serra em seu escritório de campanha

O candidato do PSDB em São Paulo, José Serra, está cada vez mais em declínio nessa campanha eleitoral. Em debate realizado ontem, organizado pelo jornal que o apoia descaradamente Folha de SP e a RedeTV, Serra mostrou-se mais despreparado que nunca para o pleito.

No debate, até Gabriel Chalita, que já foi secretário estadual de educação do próprio PSDB, deixou o maníaco da Mooca mais sem graça que comida vegana. Chalita o questionou sobre o fechamento das escolas em tempo integral, e Serra rebateu dizendo que ele faltava com a verdade. Chalita, experiente e muito bem treinado, deu um tapa na cara do careca em forma de palavras. "Não posso ser chamado de mentiroso. Quem disse que não conhecia Paulo Preto [acusado de desviar doações para a campanha de Serra em 2010] não fui eu. Quem disse que não nomeou Aref [pivô de escândalo da gestão Kassab] não fui eu. Quem disse que não sairia da prefeitura não fui eu, me respeite".

Fernando Haddad foi certíssimo no debate. Falou de propostas e evitou ataques diretos, assim como também Russomano agiu.

Serra entrará ainda mais em desespero quando, na próxima semana, sair a nova pesquisa. E tudo indica que o candidato PTista ultrapasse Serra. Serra aparecerá com 16% e Haddad com 18%.

A pesquisa já é entendida pelo Tucano. E, em mais uma gafe – dentre milhões em sua campanha- ele falou sobre o alto índice de rejeição que sofre. “Isso porque todo mundo me conhece”, afirmou. Claro, quem o conhece sabe muito bem que tipo de caráter esse candidato tem. E quem o conhece de verdade, conhece como gestor, o rejeita. Isso, ninguém pode discordar dele. 

Paraná beirando à ditadura


O estado do Paraná está tão empenhado em crescer que quer até imitar seu irmão rico, São Paulo. Já elegeram Beto Richa para acabar com a educação-igual o PSDB fez em SP- e em Curitiba, o mesmo deixou a prefeitura para se candidatar a outro cargo- lembra de Serra? Pois bem...

O problema é que, no Paraná, a censura aos blogs está correndo solta. Desta vez, o Blog do Tarso foi censurado por conta de uma enquete sobre quem seria o pior prefeito de Curitiba. O dono do blog foi multado em mais de R$200 mil reais e, sendo uma pessoa física, não terá com continuar com o blog.

Blog feito para discutir sobre política e cidadania, com o intuito de fiscalizar as ações da administração pública. Um blog sem fins lucrativo, simplesmente um blog. Um blog onde ele colocava suas matérias sobre política, onde mostrava seu amor pelo Corinthians...Mas isso, pelo visto, é de praxe no Paraná.

Em dezembro do ano passado, eu denunciei um escrivão da polícia civil por ter pedido propina. Recebi diversas ameaças, inclusive de José Reis, diretor do jornal O Iguassu, “calunista” do blog Garganta do Diabo, que hoje tem o nome de “A Nossa Voz”. O diretor me mandava emails com ameaças para tirar o conteúdo do blog, pois iria “prejudicar quem não deveria”.  Recebia ligações do advogado(Diego, que nem OAB tem) que pagou a propina para tirar do ar a postagem, afinal ele não queria se ferrar.

Mas o pessoal do Paraná Blogs foi bacana, deu uma força legal. Mas só eles também.

Aqui, no Quarto Poder SP, fica meu apoio ao Tarso, que é um grande blogueiro, uma pessoa muito bacana que não merece passar por coisas como essas, enquanto candidatos que usam a máquina pública levam multa de R$5 mil. Contra a censura da blogosfera, afinal os poderosos têm a grande imprensa para poder falar. E nós?

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Aécio fala do mensalão do PT mas esquece da Lista de Furnas


Aécio Neves parece que está sofrendo de amnésia alcoólica. Suas constantes bebedeiras o faz dizer frases que voltam contra si de uma maneira incrível. No último comício de Márcio Lacerda, Aécio citou o mensalão do PT para poder atacar Patrus Ananias. Aécio disse, ao lado de seu pupilo, que o PT se apropria dos recursos públicos como se fossem do partido e fez referência ao entendimento dos ministros do STF de que houve desvio de dinheiro federal em operações do Banco do Brasil com a agência de publicidade de Marcus Valério, a DNA.

““O PT se apropria de empresas públicas, como fez e agora está comprovado pelo STF em relação ao Banco do Brasil. Uma vergonha, uma instituição secular, símbolo do Brasil, atender a interesses do partido. É um problema grave do PT: tem muita dificuldade em separar o que é público do que é privado”, disse o Senador em carreata com Lacerda.

Mas como iniciei o texto acima, Aécio sofre de amnésia alcoólica. Aécio esqueceu de falar que ele mesmo recebeu, em 1998 do então governador Eduardo Azeredo, a modesta quantia de R$108 mil reais. Inclusive, esse mensalão, criado por Azeredo, usou recursos de várias estatais mineiras, como Copasa e a Cemig.

Mas Aécio não consegue lembrar isso. Por que será?O buraco ainda é mais profundo.Aécio chegou a receber R$5,5 milhões do mensalão dos tucanos em um único repasse. E até hoje não foi julgado.

Mensalão para 150 políticos do PSDB e do DEM teria sido extraído da estatal de energia; lista de repasse de verbas, assinada pelo então presidente Dimas Toledo (centro), para as campanhas de 2002, é legítima, segundo laudo da PF; Ministério Público acata.

Segundo o jornalista Amaury Ribeiro Jr. , em sua coluna no jornal Hoje em Dia de Belo Horizonte, a lista de Furnas, assinada pelo próprio Dimas Toledo, traz o nome de políticos que receberam doações clandestinas de campanha da empresa estatal em 2002. Entre os beneficiados estão os ex-governadores de São Paulo e de Minas Gerais, e outros 150 políticos. Os próprios executivos da Toshiba do Brasil – uma das empresas que financiavam o esquema – confirmaram a existência de um caixa dois que sustentava mesada de servidores e políticos. O superintendente Administrativo da empresa japonesa, José Csapo Talavera, afirmou, por exemplo, que os contratos de consultoria fictícios das empresas de fachada, até 2004 , eram esquentados por um esquema de “notas frias”.

Como Patrus é um candidato que tem propostas, que tem um conteúdo, preferiu ficar quieto e focar nas propostas para que Belo Horizonte tenha uma campanha de conteúdo. O problema é que tem gente que bebe demais e esquece disso...

Contador Grátis